• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


E que grande surpresa nos trazem estes Hammers Of Misfortune. Estando nós à espera de uma coisa qualquer thrash/death ou até doom – por sugestão do nome da banda, eis que nos surge um hard rock, daquele vintage que até dá gosto ouvir. Isto pela impressão que nos deixa “Velvet Inquisition”, o primeiro dos sete contidos neste “Dead Revolution”. Só depois vamos investigar o historial da banda norte-americana e aprendemos que já têm uma carreira considerável e que o seu domínio é mesmo pelos terrenos vintage do hard rock/metal progressivo – não estávamos muito longe da verdade.

“Dead Revolution” é o sexto álbum e o segundo pela influente e cada vez mais eclética, Metal Blade. A forma de definir o seu som, além do que já foi dito atrás, é dizer basicamente que estamos perante a fusão perfeita entre o espírito (hard) rock da década de setenta com alguma espírito metálico não muito comum mas que podemos associar à década de oitenta, ou seja, não são bem as referências mais comuns quando estamos a falar de metal progressivo. Principalmente quando a tendência actual é de complicar tudo, tocar quantidade de notas absurdas por segundo e ainda ter algo a que se possa associar a djent.

Felizmente não temos nada disso aqui. O que temos é mesmo um bom gosto excelente na hora dos arranjos, onde tanto os teclados como os coros desempenham um papel fundamental, havendo espaço para uns riffs mais cavalgantes como aquele que dá início a “The Precipice”. Apesar de se reconhecer o seu som como original, e é, acabamos sempre por ter na memória bandas como Deep Purple, Uriah Heep por um lado e por outro bandas como Manilla Road e Slough Feg, o que é uma boa sensação. Uma excelente surpresa e mais uma banda a conhecer a fundo.

Nota: 8.6/10

Review por Fernando Ferreira