• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)


Slug Comparison é um nome bizarro, não apenas para uma banda, mas no geral para qualquer coisa e “banda” pode também não ser a definição correcta para o projecto a solo do vocalista de Fen, Doug Harrison. E engane-se quem espera black metal atmosférico à semelhança do outro projecto mais notório de Doug Harrison, pois o que aqui temos pode ser encaixado algures entre rock psicadélico e o progressivo, se bem que traz consigo aquela aura contemplativa que se pode ouvir nos Fen, mas os dois projectos são mundos totalmente à parte um do outro.

Se se pretende uma banda para utilizar como referência para se ter uma ideia do carácter de Slug Comparison então talvez os Porcupine Tree, só que com temas de 3 minutos e meio, sejam a associação mais aproximada.

Sendo também o álbum de estreia de um projecto a solo o que se podia esperar ao pôr isto a tocar será sempre uma incógnita com uma tendência para ouvir sonoridades semelhantes às da tipicamente chamada “banda principal”, mas Slug Comparison surpreende não só pela grande diferença estilística como também pelo alto calibre da música em si. Há uma harmonia constante entre guitarra acústica e eléctrica que se adapta perfeitamente ao carácter único de cada tema (sim, este é um daqueles álbuns onde cada música tem uma identidade bem vincada); harmonia essa que é visitada ocasionalmente por elementos exteriores como as partes electrónicas de “Bringer Of Doom”. Outro grande destaque deste disco é também o aprimorar da qualidade de Harrison como vocalista. A facilidade como talha a sua voz em temas tão distintos como “Evil Walks” com aquela muito própria atmosfera tribal, ou puxando até falsettos como os usados no refrão da muito catchy “You’ve Seen Me” revelam a qualidade de Doug como um vocalista versátil e os temas em si demonstram as suas capacidades como compositor.
Conseguindo surpreender em cada faixa, seja pelo cariz distinto da música em si entre as restantes como o caso da já referida “Evil Walks” ou da exótica mistura em “Common Room”, seja pela intensidade que cresce à medida que os temas se vão desenrolando: há um excelente e inesperado exemplo disso na segunda metade de “Summer ‘99” e na poderosa “Long Live The Night” que é, sem dúvida, o tema mais complexo e denso do álbum. Uma agradável surpresa que compensa a cada minuto.


Nota: 9.2/10

Review por Tiago Neves