• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


As subsidiárias da Pure Steel Records são mais que muitas, o que garante uma boa abrangência dentro do espectro do heavy metal tradicional. Uma dessas subsidiárias é a Pure Rock Records, embora, verdade seja dita, este projecto levado a cabo encaixaria melhor na Pure Prog Records. E porquê? Porque este álbum dos Starquake, projecto criado pelo compositor e multi-instrumentalista Mikey Wenzel (que, segundo o press-release, tem muita experiência embora o mesmo omita precisamente em que bandas essa experiência foi adquirida), começa logo com um grande esplendor progressivo da década de setenta com a “Scenes From A Revolution”. Nomes mais antigos como Yes (sem a exuberância majestosa dos britânicos), Deep Purple e Uriah Heep da década de setenta, Marillion da década de oitenta e outros mais recentes como Spock’s Beard vêem-nos à mente.

O som é sem dúvida fruto de outra época, e os nomes atrás evocados são apenas referências para as épocas e o tipo de som que evocam, porque também existem alguns apontamentos mais heavy metal, próprios da tão chamada NWOBHM, como os solos de extrema inspiração do épico de vinte e um minutos “Rise And Fall”, sem dúvida o grande atractivo deste trabalho. Apesar da qualidade óbvia de certas faixas, não deixa de ficar a sensação de que como álbum este é um trabalho que sofre pela sua excessiva duração. Não que não gostemos de álbuns com mais de setenta minutos, mas quando tal duração faz com que a apreciação do álbum em si sofra, seria melhor deixar algumas faixas de fora, nomeadamente aquelas após o mencionado épico, que nos surge à quarta faixa.

Variado, intenso, longo e com um certo sabor vintage que hoje em dia é muito apreciado, “Times That Matter” é um álbum mais indicado a fãs de música progressiva, principalmente aquela que foi feita na década de setenta e parte da década de oitenta, do que propriamente para os que apreciam rock puro e duro. É um álbum desequilibrado no alinhamento. Depois da “Rise And Fall” fica-se apenas com vontade de ouvir vezes em conta essa faixa, e tudo o resto nos parece filler. De qualquer forma, este trabalho demonstra um enorme talento e se for para continuar, estes Starquake vão nos surpreender ainda mais no futuro.


Nota: 7/10

Review por Fernando Ferreira