• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Os turcos She Past Away têm vindo a alcançar fãs portugueses de dia para dia. Em 2014, estrearam-se em território nacional no festival Entremuralhas, em Leiria. Um ano depois, brindam o nosso país com dois espetáculos: no Hard Club, no Porto, e no Sabotage Club, em Lisboa. É deste último que vimos falar. 

A primeira parte da noite esteve a cargo dos nacionais Wildnorthe, compostos por Sara Inglês e Pedro Ferreira, e que contam com três anos de existência. Têm dois EPs lançados: um homónimo, editado em 2014, e o recente “AWE”, lançado no presente ano. É bastante compreensível que os Wildnorthe tenham sido escolhidos para iniciar o espetáculo. Embora com um estilo musical mais ambiental e minimalista que os turcos, a verdade é que a sua tonalidade sombria era o mote para criar ambiente numa das noites mais aguardadas pelos lisboetas amantes do post-punk e darkwave. O duo foi competente ao longo da atuação; porém, não conseguiu alcançar o feedback merecido. O Sabotage Club prima por ser um espaço intimista, onde músicos e espectadores estão frente a frente. Infelizmente, foram mais as ocasiões em que se ouviram risos e conversas entre o público, do que propriamente o belo contraste das vozes de Sara e Pedro. Contudo, houve quem se conseguisse abstrair e desfrutar do concerto. Ficou o desejo de os ouvir noutro contexto, pois revelaram-se um projeto promissor. 

Já pela meia-noite, e com esta atuação terminada, o espaço tornava-se cada vez mais pequeno para um público cada vez mais farto. De referir que a data já se encontrava com lotação esgotada há alguns dias, mesmo tendo em conta que os turcos também visitariam o norte do país. Ficou a clara sensação de que, da próxima vez que visitarem a capital, haverá corrida para garantir um bilhete!

A entrada dos She Past Away foi marcada pela humildade que lhes é característica. Sem quaisquer preciosismos, Volkan Caner e Doruk Ozturkcan sobem ao palco, certificam-se que o som está em condições e iniciam com “İçe kapanış (intro)”, do segundo álbum da banda, “Narin Yalnızlı”, lançado em 2015. A partir do segundo tema, “Belirdi Gece”, do primeiro registo dos turcos (com o mesmo nome), o público rende-se completamente. Uma multidão de negro a dançar fervorosamente (num espaço que parecia cada vez mais diminuto), por entre rendas, botas de biqueira de aço e cartolas, parecia uma tarefa difícil - mas os lisboetas concretizaram-na na perfeição. 

Os músicos agradeceram várias vezes a presença do público (ainda para mais “numa terça-feira”, tendo referido Doruk). É certo que o inglês custa-lhes um pouco a sair, mas vistas as coisas...não é que tenha feito qualquer diferença. E é interessante ver o quão nos diz a música destes turcos, cantada na sua língua mãe, quando grande parte do seu público não tem qualquer conhecimento da mesma. A boa música tem muito para além das letras, e os She Past Away são a prova disso. 

É difícil dizer que a banda escolheu as músicas mais emblemáticas, pois todas elas seriam aplaudidas com entusiasmo. Mas o público reagiu com particularidade aos temas do primeiro registo, destacando “Ritüel”, “Ruh” e “Bozbulanık”.

No fim da noite, era notória a cumplicidade entre os músicos e o público, que chegaram a brindar com cerveja. Após o primeiro encore, os fãs não se queriam despedir e pediram por mais. Felizmente, os turcos acederam ao pedido e iniciaram um segundo encore. Doruk questionou se havia algum tema que o público preferisse, e “Ruh” foi novamente tocado, a pedido da primeira fila. A atuação termina com dois fãs a abraçarem os músicos, e muitos sorrisos à mistura. 

Uma noite que, esperemos, se volte a repetir brevemente. 

Texto por Sara Delgado
Agradecimentos: A Comissão