• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Koen Herfst poderia bem ser o nome de uma banda de folk sueco, mas não, é mesmo o nome de um baterista que mesmo não sendo sobejamente conhecido na cena, mas os nomes com quem já colaborou certamente serão familiares entre os fãs de metal – Dew-Scented, After Forever e Epica. É um álbum que reúne uma série de cromos difíceis da música em torno do baterista que é o elemento comum entre todos diferentes nomes e géneros que “Back To Balance” foca. Então temos Mats Léven (actualmente nos Therion, Krux e Candle Mass), Daniël De Jongh (dos Textures), Valerio Recenti (dos My Propane), Marcela Bovio (dos Stream Of Passion), Tai Stamph (dos Splendid), Rodney Blaze (ex-Xenobia), Claudia Soumeru (de Bagga Bownz), Ward Palmen (dos Gunz N’ Rozes) e Eva Kathryn, no departamento da voz.

Nas guitarras por sua vez temos nomes como Marvin Vriesde (dos Dew-Scented), Eef Van Riet e Daan Janzing (ambos ex-My Favorite Scar), Eller Van Buuren (Bagga Bownz), Mendel Bij De Leij (dos Aborted), Remko Van Der Spek (ex-Orphanage) e ainda Leife De Leeuw, Marcel Singor e Wim Den Herder. No baixo, Michiel Eilbracht (Bagga Bownz), Joost Van Der Graaf (dos Dew-Scented), Joan Va Stratum (dos Stream Of Passion) e Robin Zielhorst (dos Exivious). Nas teclas temos ainda Joost Van Den Broek (ex-After Forever e actualmente nos The Gentle Storm), Coen Janssen (dos Epica), terminando com a participação no violino de  Judith Van Der Klip (ex-Blaudzun).

É mesmo muita gente junta, o que mostra que o músico coleccionou algumas amizades ao longo de quase vinte anos de carreira. Não há propriamente uma tendência que abranja todo o álbum, ainda o estilo de metal mais moderno é algo que se consegue associar bem – talvez a “Total Hate” e a sua mistura com rap ou hip-hop seja aquela que mais custa a entrar nos ouvidos mais rock/metal. De outra forma temos temas que se revelam grandes malhas, como a “I Don’t Need To Tell You”, a “Back To Balance” (esta última poderia estar num álbum de shred ou de metal progressivo que não estaria deslocada) ou a “Begone” (dentro do metal mais sinfónico e bombástico).

No entanto também existem algumas músicas que acabam por não aquecer nem arrefecer, mas, como um álbum de um baterista, acaba por demonstrar bem a sua versatilidade e em como é possível um baterista fazer um álbum a solo sem ter propriamente ter solos de bateria ou ter uma exibição explícita do seu talento, que é indiscutível. É um álbum agradável e que definitivamente merece algumas audições, com algumas faixas a sobreviver e a ficarem após essas audições terminarem. Uma boa surpresa para quem não conhecia o baterista – ou pelo menos não o reconhecia fora do contexto das bandas nas quais é integrante.


Nota: 7/10

Review por Fernando Ferreira