• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


Parece ser um lugar comum começar uma crítica com este tipo de afirmação, mas aqui não se consegue mesmo evitar: Os The Moth Gatherer são um bicho difícil de classificar. Para já o nome. O Congregador de Traças. É por estas e por outras que a linguagem universal do metal é o inglês e não o português. Não seria MESMO a mesma coisa. Pormenores aparte, e voltando ao início, é difícil classificar esta banda. É tão difícil fazê-lo como é certinho que ao se apreciar este álbum se experiencie diversos estados de espírito.

Se “Pale Explosions” e “Attacus Atlas” são dignos dos melhores momentos post-metal de bandas como Cult Of Luna e The Ocean apenas para citar dois pesos pesados da coisa. Com um crescendo de poder aliados a uma sensibilidade melódica e épica, são autênticas obras de arte dignas para acompanhar imagens de um qualquer filme cujo final seja intenso emocionalmente. Outro factor, esse mais comum a todo álbum, é o facto de todas as músicas possuírem um fulgor instrumental que fazem com que nos esqueçamos que têm linhas de voz de vez em quando. Na “Probing The Descent Of Man”, dominada por sintetizadores e instrumental, um pouco menos que a “Dyatlov Pass” devido à distorção de guitarra, isso ainda é mais palpável, essa atmosfera cinematográfica que é absolutamente viciante.

Estas duas músicas também acentuam o factor viagem que todo o álbum tem, mesmo numa intensa “The Black Antlers”, que começa de forma explosiva e depois vai combinando uma série de atmosferas díspares mas que todas funcionam no mesmo sentido. O conceito de dinâmica é levado a um novo extremo, apresentando díspares formas de atingir o ouvinte, todas fazendo sentido entre si e no decorrer do álbum. É também a prova de que é preciso fazer algo fora da caixa, ou experimental – não querendo abusar do termo – e mesmo assim conseguir com que seja catchy e viciante. Impossível de ficar indiferente, “The Earth Is The Sky” é recomendado a todos aqueles que vêem, ouvem e sentem a música de uma forma intensa.


Nota: 9/10

Review por Fernando Ferreira