• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Total Pageviews

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































The Sword vão entrar num hiato

Corte quase fatal no futuro dos The Sword, uma vez que a banda texana anunciou há dias que fará uma pausa, embora tenha lançado ainda em março (...)

Hate Eternal lançam áudio de "Nothingness of Being"

A banda de death metal irá lançar o novo álbum, Upon Desolate Sands, a 26 de outubro através da Season Of Mist. Depois de desvendar (...)

Alterações no alinhamento do Festival Bardoada e Ajcoi

O Festival Bardoada e Ajcoi anunciou a substituição de duas das bandas previamente confirmadas. (...)

Marky Ramone em Portugal no próximo mês

O veterano Marky Ramone tem dois espectáculos marcados para o nosso país, que serão nada mais, nada menos, do que o warm up para o Lisbon Tattoo Rock Fest 2018. (...)

Behemoth lançam nova música "Wolves Ov Siberia"

"Wolves Ov Siberia", o novo vídeo de Behemoth, pode ser visto acima. A música faz parte do próximo álbum da banda, "I Loved You At Your Darkest", (...)


Os Nile estão f*****s da vida!

Uma maneira pouco formal e até corriqueira de pôr as coisas, mas esta é a primeira conclusão a que se chega após a primeira audição do disco What Should Not be Unearthded, o oitavo na carreira dos Nile.

Talvez devido à recepção algo dívida do último disco At The Gates of Sethu, os Nile quiseram desta vez fazer algo um pouco diferente do que o referido disco. E vai daí toca de deixar de lado a (quase) totalidade dos interlúdios sinfónicos, bem como resfriar um pouco no que à experimentação diz respeito.
Como refere o guitarrista Karl Sanders:

“The goal for the new record was sheer epic brutality,”

E no fundo é mesmo isso que trespassa, hoje vemos uns Nile mais soltos, brutais e de certa forma até mais diretos, mas sem descurar a parte técnica (parte fulcral da essência da banda).

Ouçam por exemplo Rape of the Black Earth ou Call to Distruction, e vejam a forma impiedosa como os riffs e os blast beats assaltam os speakers, em descargas de intensidade assinaláveis, ao mesmo tempo que o nosso cérebro vai apreendendo alguns pormenores quase que dando a ilusão de estarmos perante algo catchy. Call to Destruction acaba por ter um destaque especial no disco, devido à forma como todo o ódio e raiva dos instrumentos é soberbamente conjugada com a sátira das letras, num call to arms do estado islâmico.

No entanto What Should not be Unearthed também não é um álbum bidimensional, Age of Famine e In the Name of Amun acabam por recuperar, a espaços, algum dos experimentalismo do disco anterior, e o “a meio tempo” Evil To Cast All Evil faz jus ao título numa simbiose perfeita entre um peso hipnotizante e brutalidade instrumental.  

Não sendo porventura o melhor, ou até mesmo o mais carismático dos discos da banda, What Should Not Be Uneaerthed acaba por ser um excelente cartão de visita para quem quer ficar a conhecer o coletivo, dando-nos em boa dose de peso, brutalidade, técnica e experimentalismo. Pelo meio do caminho até pode ajudar a fazer as pazes com quem ficou desiludido com alguns dos trabalhos anteriores.

Nota: 8.4/10

Review por António Salazar Antunes