• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)


Os Nile estão f*****s da vida!

Uma maneira pouco formal e até corriqueira de pôr as coisas, mas esta é a primeira conclusão a que se chega após a primeira audição do disco What Should Not be Unearthded, o oitavo na carreira dos Nile.

Talvez devido à recepção algo dívida do último disco At The Gates of Sethu, os Nile quiseram desta vez fazer algo um pouco diferente do que o referido disco. E vai daí toca de deixar de lado a (quase) totalidade dos interlúdios sinfónicos, bem como resfriar um pouco no que à experimentação diz respeito.
Como refere o guitarrista Karl Sanders:

“The goal for the new record was sheer epic brutality,”

E no fundo é mesmo isso que trespassa, hoje vemos uns Nile mais soltos, brutais e de certa forma até mais diretos, mas sem descurar a parte técnica (parte fulcral da essência da banda).

Ouçam por exemplo Rape of the Black Earth ou Call to Distruction, e vejam a forma impiedosa como os riffs e os blast beats assaltam os speakers, em descargas de intensidade assinaláveis, ao mesmo tempo que o nosso cérebro vai apreendendo alguns pormenores quase que dando a ilusão de estarmos perante algo catchy. Call to Destruction acaba por ter um destaque especial no disco, devido à forma como todo o ódio e raiva dos instrumentos é soberbamente conjugada com a sátira das letras, num call to arms do estado islâmico.

No entanto What Should not be Unearthed também não é um álbum bidimensional, Age of Famine e In the Name of Amun acabam por recuperar, a espaços, algum dos experimentalismo do disco anterior, e o “a meio tempo” Evil To Cast All Evil faz jus ao título numa simbiose perfeita entre um peso hipnotizante e brutalidade instrumental.  

Não sendo porventura o melhor, ou até mesmo o mais carismático dos discos da banda, What Should Not Be Uneaerthed acaba por ser um excelente cartão de visita para quem quer ficar a conhecer o coletivo, dando-nos em boa dose de peso, brutalidade, técnica e experimentalismo. Pelo meio do caminho até pode ajudar a fazer as pazes com quem ficou desiludido com alguns dos trabalhos anteriores.

Nota: 8.4/10

Review por António Salazar Antunes