• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Os Nile estão f*****s da vida!

Uma maneira pouco formal e até corriqueira de pôr as coisas, mas esta é a primeira conclusão a que se chega após a primeira audição do disco What Should Not be Unearthded, o oitavo na carreira dos Nile.

Talvez devido à recepção algo dívida do último disco At The Gates of Sethu, os Nile quiseram desta vez fazer algo um pouco diferente do que o referido disco. E vai daí toca de deixar de lado a (quase) totalidade dos interlúdios sinfónicos, bem como resfriar um pouco no que à experimentação diz respeito.
Como refere o guitarrista Karl Sanders:

“The goal for the new record was sheer epic brutality,”

E no fundo é mesmo isso que trespassa, hoje vemos uns Nile mais soltos, brutais e de certa forma até mais diretos, mas sem descurar a parte técnica (parte fulcral da essência da banda).

Ouçam por exemplo Rape of the Black Earth ou Call to Distruction, e vejam a forma impiedosa como os riffs e os blast beats assaltam os speakers, em descargas de intensidade assinaláveis, ao mesmo tempo que o nosso cérebro vai apreendendo alguns pormenores quase que dando a ilusão de estarmos perante algo catchy. Call to Destruction acaba por ter um destaque especial no disco, devido à forma como todo o ódio e raiva dos instrumentos é soberbamente conjugada com a sátira das letras, num call to arms do estado islâmico.

No entanto What Should not be Unearthed também não é um álbum bidimensional, Age of Famine e In the Name of Amun acabam por recuperar, a espaços, algum dos experimentalismo do disco anterior, e o “a meio tempo” Evil To Cast All Evil faz jus ao título numa simbiose perfeita entre um peso hipnotizante e brutalidade instrumental.  

Não sendo porventura o melhor, ou até mesmo o mais carismático dos discos da banda, What Should Not Be Uneaerthed acaba por ser um excelente cartão de visita para quem quer ficar a conhecer o coletivo, dando-nos em boa dose de peso, brutalidade, técnica e experimentalismo. Pelo meio do caminho até pode ajudar a fazer as pazes com quem ficou desiludido com alguns dos trabalhos anteriores.

Nota: 8.4/10

Review por António Salazar Antunes