• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


Circus Maximus até poderá ser um nome desconhecido para alguns, mas os mais atentos ao metal progressivo de certeza que os têm como um nome forte da cena progressiva norueguesa (ou porque não dizer escandinava). Depois de quatro anos de ausência, a banda regressa através da mão sempre atenta da Frontiers que nos prova de que nem só de hard rock ou rock fm vive a editora italiana que tem sido a casa da banda desde o anterior trabalho “Nine” que já data de 2012.

Para quem se queixa que o som dos Circus Maximus é demasiado limpinho então precisa de ouvir urgentemente um malhão como o tema título que é a faixa mais imediata e também é um grande tema energético e viciante. Mas esse não é o foco da banda, sendo que os temas levemente emocionais (e por emocionais também se entende e enquadra o termo feeling, que transmite muito mais do que aquilo que a tradução da palavra nos diz) são por excelência a praia da banda e aqui podemos comprovar isso mesmo através de temas como “Loved Ones” e “After Fire”.

Já é chover no molhado dizer que a banda é exímia no domínio dos seus instrumentos e na arte da composição de grandes temas que conjugam emoção, peso e melodia com uma capacidade incomum, onde músicas com tiques pop como “Remember” (que poderia estar a passar nas rádios que não iria causar estranheza a ninguém) convivem igualmente bem com outras algo mais complexas como a faixa de abertura “The Weight”, sendo que a melodia é o ponto comum a todas elas. “Havoc” é um álbum que exige muitas audições, não porque não entra mas porque começando a ouvir, não conseguimos parar – aquela última música então é algo de mágico.


Nota: 8.4/10

Review por Fernando Ferreira