• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


O início de "Parades" poderá assustar os desprevenidos. Para esses só podemos dizer - tarde mais é certo - não, não é o regresso dos Animals com a versão da música que mais lhes deu fama, "The House Of The Rising Sun", embora tal possamos jurar apenas por esses breves segundos. E se no início parecia uma coisa, lá mais para o fim e muito graças à guitarra cheia de reverb, já parece outra, neste caso, os Shadows. É com este instrumental que o álbum de regresso dos Herms, após dez anos de ausência se inicia, um álbum que promete trocar as voltas aos que já não estão habituados ao seu som.

Isto porquê? A seguir à tal intro tão díspar, temos logo "Ready/Set '94" que traz bem mais barulho, distorção e sujidade, mas não esquecendo a condição de fazer soar como se estivessemos na década de sessenta. Esta característica é aquela que mais podemos encontrar ao longo deste trabalho, apesar de todas as (muitas dinâmicas) que encontramos aqui. Isto é mais visível numas faixas (como a "General Jack" que poderia muito bem ter sido escrita por uns The Beatles, se tivessem começado uns anos mais tarde e a usar já no início de carreira as drogas que começaram a usar mais no final), que outras ("Cold Residence", uma espécie de Frank Zappa ainda mais alucinado e muito mais monocórdico.

Já estão a ver o caminho para onde esta análise vai dar não estão? Para lado nenhum, porque os Herms trocam-nos as voltas, pelo que se não é possível analisá-los ao pormenor (isto para chegar a alguma conclusão) teremos que nos afastar um pouco e ser um pouco mais genéricos. Podemos encontrar aqui uma mistura de eras. Como se a década de sessenta e todo o seu psicadelismo se fundissem com o a esquisitice que o new wave, ou pós-punk produziu, sem esquer mesmo uma costela aqui e ali punk, um experimentalismo de garage rock em forma de surf music - principalmente pelos tiques da guitarra.

Resumindo, passa-se aqui muita coisa estranha que o pessoal do metal simplesmente não terá paciência ("Sounds Below" e "Veloxer" são apenas mais dois exemplos) e que mesmo que tenha paciência para ouvir, não terá a energia para o ouvir frequentemente. Interessante como são conjugadas uma série de estilos diferentes, mais interessante que as músicas em si, e quando assim é... está tudo dito.


Nota: 5/10

Review por Fernando Ferreira