• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


E dá-lhe com o folk, neste caso metal. O início de Aldas com o violino na "Intro" neste trabalho dos Dalriada deixa-nos imediatamente bem dispostos, mas o que vem de seguida ainda consegue fazer melhor. Um folk metal de qualidade bem acima da média, com melodias e arranjos vencedores, isto tudo cantado em húngaro. Exacto, a banda é húngara, canta na sua língua natal e é capaz de nos agarrar logo à primeira com a qualidade da sua música. E não se pense que é daqueles casos em que a parte folk se sobrepõe a tudo o resto. Nada disso.

"Mit Ad Az Eg (Almos Bcsuja)" é o primeira a sério e é aquele que chega para que se fique agarrado. Temos solos de guitarra, temos solos de teclados, temos flautas, violinos, coros a capella que nos fazem fazer figura tristes a tentar acompanhar aquilo que estão a cantar e que não fazemos puto ideia do que seja. É quase uma hora com músicas deste calibre que convidam ao bailarico e que fariam muito sucesso tanto em festivais de verão como num qualquer clube. É impossível esta música tocar em cima de um palco e quem está na plateia não ficar empolgada.

Poderá parecer incrível mas este trata-se já do oitavo álbum de originais - a banda tem o estranho hábito de chamar aos seus álbuns o nome dos meses em húngaro arcaico, portanto este corresponde ao mês de Julho (o salto foi dado por causa do sexto álbum, "Arany-Album" que se baseia em poemas de János Arany) e já data do ano passado, sendo que Forrás já foi lançado este ano. Não basta serem profícuos, a qualidade é enorme. Já tem um ano mas qualquer coisa serve desde que se fique a conhecer. Nós, por aqui, ficámos fãs incondicionais. Obrigatório.


Nota: 9/10

Review por Fernando Ferreira