• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes

Symphony X - Underworld




Riverside - Love Fear And The Time Machine




Amorphis - Under The Red Cloud





Flayed - Monster Man




Ivanhoe - 7 Days




Elferya - Eden's Fall




Spektr - The Art To Disappear




Rab - Rab 2




Exumer - The Raging Tides




Tales Of The Tomb - Volume One Morprhas




Dimino - Old Habits Die Hard




Roxxcalibur - Gems Of The NWOBHM





The Fifth Alliance - Death Poems




Augrimmer - Moth And The Moon




The Great Tyrant - The Trouble With Being Born




Weeping Silence - Opus IV - Oblivion




Watercolour Ghosts - Watercolour Ghosts




Hexx - Under The Spell/ No Escape




Deseized - A Thousand Forms Of Action




Razor Rape - Orgy In Guts




Sadist - Hyaena




Xandria - Fire & Ashes




Alien Syndrome 777 - Outer




Asylum Pyre - Spirited Away




Canyon Of The Skell - Canyon Of The Skull




Chron Goblin - Blackwater




Extreme Cold Winter - Paradise Ends Here

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Visitantes

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



















Entrevista aos Wintersun

Os Wintersun estão de volta mas só acede ao novo álbum “The Forest Seasons” quem participar na campanha de crowdfunding que se iniciou no dia 1 de março e que terminará no dia 31 do mesmo mês. (...)

Vallenfyre revelam detalhes do novo álbum

O próximo álbum dos Vallenfyre, intitulado "Fear Those Who Fear Him", será lançado a 2 de Junho pela Century Media Records. O 3º álbum da banda foi gravado (...)

Hail Of Bullets chegam ao fim

A guerra dos Hail Of Bullets chegou ao fim. A banda holandesa colocou um término na sua luta e para a história ficaram álbuns como "...of Frost and War", (...)

Novembers Doom lançam novo vídeo

Os Novembers Doom, banda oriunda de Chicago, acaba de lançar um novo vídeo com a letra. Retirada do seu décimo álbum, “Zephyr”, foi, desta feita, a escolhida.(...)

Testament preparam lançamento de novo álbum e livro

Apesar do seu último álbum "Brotherhood Of The Snake" ter sido lançado há apenas cinco meses, os Testament encontram-se já a trabalhar no seu sucessor. A revelação surgiu numa entrevista(...)


Esta era uma noite aguardada já há muito tempo por fãs de symphonic metal. Para além dos Nightwish terem estado fora dos palcos portugueses durante quase uma década, foi também a primeira vez que a banda se apresentou por cá com Floor Jansen como vocalista. E as expetativas não foram defraudadas.

A primeira parte do evento esteve a cargo dos nacionais Kandia. Apesar de não nos ter sido possível assistir ao seu concerto na íntegra, foi notório que o público estava a corresponder ao som dos portugueses, muito embora o mesmo nem sempre tenha estado perfeito em alguns momentos. A setlist baseou-se quase na totalidade no último álbum da banda, “All Is Gone”, lançado em 2013. A vocalista Nya Cruz mostrou-se bastante comunicativa e, infelizmente, quando o ambiente se começava a estabelecer, foi necessário terminar a atuação (como acaba por ser apanágio de uma banda de abertura). Cumpriram claramente com o que era desejado, isto é, abrir o apetite para o concerto que se avizinhava.

Nesta altura, o Coliseu de Lisboa já estava completamente a transbordar. A julgar pela idade (e, de alguma forma, pela euforia), certamente que havia por lá muitos estreantes que aguardavam pelo seu primeiro concerto dos finlandeses. Por outro lado, nas gerações mais antigas, também se ouviam comentários de quem decidiu vir experimentar um género musical diferente daqueles com os quais estão mais familiarizados.

Quando Floor Jansen entrou em palco, juntamente com os restantes membros da banda, e se ouviu “Roll Tide”, de Hans Zimmer, a magia começou. Ao longo de duas horas, foi possível assistir a um espetáculo que, muitas vezes, lembrou uma história de encantar. As luzes e, principalmente, os vídeos que iam passando por detrás dos músicos ajudaram a criar um ambiente perfeito, que iam acompanhando as letras que Floor ia entoando. A banda começou com “Shudder Before The Beautiful”, do seu último lançamento, “Endless Forms Most Beautiful”. Este foi o primeiro álbum a contar com Floor nos vocais, mas não se julgue que os temas deste trabalho foram os únicos que assentaram na voz da vocalista. Floor provou que foi uma escolha bastante acertada, não só pela sua presença em palco e pelo seu carisma, mas também pela beleza e segurança na sua voz. Assim se verificou em temas antigos como “Nemo”, “The Siren”, “Sleeping Sun” ou “Ghost Love Score”. Já em “I Want My Tears Back”, o público ecoou as letras em uníssono e o entusiasmo foi tanto que o chão estremeceu, literalmente.

O fim do concerto veio com “The Greatest Show on Earth” e, esse sim, foi algo morno. Ficou a sensação de faltar algo para se acabar em grande. Fãs mais antigos da banda diriam que o tema “Wish I Had An Angel” teria encaixado que nem uma luva, dado que era dessa forma que a grande maioria dos concertos terminava anteriormente (como aconteceu na última aparição da banda em Portugal, em 2008). Também um dos temas mais apresentados ao vivo pela banda, e um dos mais emblemáticos, “Dark Chest Of Wonders”, não foi contemplado nesta noite. 

Ainda assim, foi um espetáculo memorável e certamente que Floor conquistou novos fãs por terras lusas. Esperemos que o regresso ocorra em breve. 



Texto por Sara Delgado
Fotografias por Igor Ferreira
Agradecimentos: Prime Artists