• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Total Pageviews

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































The Sword vão entrar num hiato

Corte quase fatal no futuro dos The Sword, uma vez que a banda texana anunciou há dias que fará uma pausa, embora tenha lançado ainda em março (...)

Hate Eternal lançam áudio de "Nothingness of Being"

A banda de death metal irá lançar o novo álbum, Upon Desolate Sands, a 26 de outubro através da Season Of Mist. Depois de desvendar (...)

Alterações no alinhamento do Festival Bardoada e Ajcoi

O Festival Bardoada e Ajcoi anunciou a substituição de duas das bandas previamente confirmadas. (...)

Marky Ramone em Portugal no próximo mês

O veterano Marky Ramone tem dois espectáculos marcados para o nosso país, que serão nada mais, nada menos, do que o warm up para o Lisbon Tattoo Rock Fest 2018. (...)

Behemoth lançam nova música "Wolves Ov Siberia"

"Wolves Ov Siberia", o novo vídeo de Behemoth, pode ser visto acima. A música faz parte do próximo álbum da banda, "I Loved You At Your Darkest", (...)

Uma das bandas mais incendiárias do Reino Unido, Feed The Rhino, anunciou recentemente que tocarão em Portugal neste verão para promover o seu último álbum "The Silence" que foi lançado na última sexta-feira, 16 de fevereiro. Para saber mais, a Metal Imperium conversou com a banda.


M.I. - Por quê o nome Feed The Rhino? Por quê um rinoceronte e não outro animal? Com um nome destes, querem ser levados a sério ou não?

Ha! Que pergunta de abertura tão amigável! Com 9 anos de tournées e festivais, 4 álbuns e 15 singles, eu gosto de pensar que somos levados bastante a sério! Por que não um rinoceronte? O que tens contra os rinocerontes?! Haha!


M.I. - Nos interesses da banda estão listados a Jagermeister, Sabian Cymbals e Mesa / Boogie ... são patrocinados por essas marcas?

Sim, somos, mas também gostamos muito deles!


M.I. - A banda toca hardcore/metal... era vossa intenção tocar este estilo quando começaram ou optaram por ele apenas por se encaixar melhor?

Para ser sincero, não acho que essa seja a melhor descrição para a nossa música (mesmo que seja o género oficial da banda...), acho que temos elementos suaves e elementos pesados, grandes riffs e secções punky. Nós simplesmente escrevemos e tocamos música de que gostamos e que seja divertida!


M.I. - "The Silence" é o novo álbum que será lançado em 16 de fevereiro... por que optaram por esse título?

O álbum é como um tema contínuo sobre o que fizemos nos últimos 4 anos desde o nosso último álbum. "The Silence" parecia um título pungente.


M.I. - O álbum contém 11 faixas... qual é o vosso favorito e por quê?

Impossível dizer pois estamos orgulhosos de todos! Eu adoro o título "The Silence". Depende do meu humor, acho! Estou ansioso por tocá-los ao vivo, e acho que isso irá definir qual o que eu gosto mais.


M.I. - A capa é bastante impressionante. Quem a desenhou? Qual é o seu significado?

Obrigado! Todas as capas e vídeos foram feitos pelo mestre Robin Fuller. Queríamos ter um tema contínuo em todas as nossas capas e vídeos. Uma vez mais ela relaciona-se com o tema do álbum e do título... 5 corpos a flutuar... à esperando de conseguir colocar novamente os pés no chão, etc.


M.I. - A banda diz que este álbum é uma evolução do último álbum "The Sorrow and The Sound". Uma evolução de que maneira?

Acreditamos que é uma evolução em todos os sentidos. A escrita das letras é melhor, as músicas pesadas são mais pesadas, as músicas maduras são mais sinceras e tristes, e a produção é melhor. Como artista, acho que é sempre importante tentar crescer de álbum para álbum.


M.I. - A bio promocional menciona que o som do vosso mais recente trabalho pode ser descrito como uma mistura de Gallows e groove com coros melódicos das grandes bandas alternativas, como Deftones ou Alice In Chains". Como se sentem quando comparados a bandas clássicas?

É um grande elogio... no entanto, não prestamos muita atenção a essas comparações. É apenas parte do processo de liberação de música, e as pessoas precisam ter algum contexto sobre o que fazemos musicalmente. Mas apenas tentamos escrever a melhor música que podemos, e a música que nos orgulhamos de lançar.


M.I. – Os Feed The Rhino são conhecidos como "uma das bandas ao vivo mais incendiárias do Reino Unido" (Kerrang!) e são muito elogiados pelo som feroz e melódico... por que é que os vossos concertos são "incendiários"? Podem explicar?

Coisas, pessoas, instrumentos e palcos ficam destruídos. Há pessoal a saltar do palco, fazem-se moshpits e as cabeças abanam imenso. A melhor aposta é ir a um e ver por si mesmo!


M.I. - Supostamente, a única maneira de realmente captar o coração da banda é assistir a um dos vossos concertos. Por quê? O vosso coração também não está exposto nos álbuns?

Boa pergunta! Nós nunca entendemos isso muito bem! Para nós, existem dois lados dos Rhino... e nossos álbuns são definitivamente mais introspectivos e pessoais. Eu acho que estamos mais expostos no álbum. Quando as pessoas nos vêem ao vivo, eles vêem os dois lados, talvez seja por isso.


M.I. - 2018 marca o 10º aniversário da banda... qual é a melhor coisa que aconteceu nesta década?

Quase... nós realmente formámo-nos em 2009. Eu não gostaria de escolher um momento, mas posso dizer que estar nos FTR foi a aventura mais louca, imprevisível e emocionante que já tive! Estou ansioso para ver onde nos isto leva!


M.I. - Quais bandas / músicos influenciaram a sonoridade dos Feed The Rhino?

Tantos que seria impossível mencionar! Eu acho que os principais são Rage Against The Machine, Queens Of The Stone Age, Norma Jean e Jimi Hendrix.


M.I. - Quais são os seus planos para 2018?

Muitos concertos ! Levar “The Silence” até às pessoas!


M.I. - Vocês têm uma tournée programada e tocarão no Hellfest... estão muito entusiasmados?

Realmente animados! Mal podemos esperar para voltar, e estamos a ensaiar muito para que o nosso concerto seja o melhor possível!


M.I. - Qual é a coisa mais emocionante de estar numa banda?

Responder a perguntas sobre o nome da nossa banda! Haha! Em segundo lugar, eu diria que é tocar em festivais.


M.I. - Quantos anos tinham quando decidiram que deveriam dedicar-se à música? Fazem isto a tempo integral ou têm empregos?

Eu sabia que a música seria minha vida desde muito jovem. Eu acho que algumas pessoas têm isso no sangue. Todos nós temos trabalhos fora da banda, mas o meu também está na música... sou engenheiro de produção / mix, e tem sido a minha profissão há 15 anos (site aqui: www.hiddentrackstudios.co.uk).


M.I. - Tudo de bom para a banda e não se esqueçam de vir a Portugal "destruir" os nossos palcos! Deixem uma mensagem com nossos leitores, por favor.

Obrigado! Estamos ansiosos por ir aí! Um grande agradecimento a todos os nossos fãs portugueses pelo apoio ao longo dos anos, e esperamos que gostem de “The Silence” tanto quanto nós!

For English version, click here


Entrevista por Sónia Fonseca