• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes

Ogre - The Last Neanderthal


Patria - Individualism


Satanika - Nightmare


The Exploited - The Massacre


The Unsemble - The Unsemble



Gun Barrel - Damage Dancer


Numph - Theories Of Light


Circle Of Chaos - Crossing The Line


Primalfrost - Prosperous Visions


Below - Across The Dark River


Mantar - Death By Burning


Endless Battle - Brotherhood Of Hate


Spewtilator - Goathrower


Woland - Hyperion


Pyrrhon - The Mother Of Virtues


More Than A Thousand - Vol.5: Lost At Home


Deicide - In The Minds Of Evil


Malevolence - Antithetical


Above The Hate - Living Under The Sludge


Within Temptation - Hydra


Visitantes

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes


























Publicidade

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Machine Head - Álbum pesado, sombrio e com onda mais rock, diz Flynn

O líder dos Machine Head falou recentemente com a Metal Hammer sobre o progresso da gravação do novo álbum(...)

Antigos membros dos Obscura lançam novo projecto

Alkaloid. É este o nome do novo projecto do qual os membros que recentemente saíram dos Obscura, o baterista Hanes Grossmann (...)

Tool explicam atraso no novo álbum

Adam Jones (guitarrista) e Danny Carey (baterista) revelaram que a banda possui ideias mais do que suficientes para um novo álbum de estúdio(...)

Decapitated revelam detalhes do novo álbum

O próximo álbum dos Decapitated, intitulado "Blood Mantra", será lançado no dia 26 de Setembro pela Nuclear Blast. Recorde-se(...)

Dragonforce revelam segundo tema do novo álbum

Os Dragonforce acabam de revelar o tema "Defenders", que fará parte do seu novo álbum, "Maximum Overload". (...)


Mais uma banda que batalhou e batalhou até ver o seu esforço recompensado ao encontrar uma editora que apostasse nela. Os franceses Gut Scrappers ouviram muito AC-DC, Aerosmith e do glam rock mais cru de Los Angeles e o resultado é este "Gimme Your Soul", lançado em edição de autor em 2012 e reeditado este ano pela Pure Steel Publishing.

Apesar das músicas cumprirem os requisitos mínimos, com boas guitarras, solos inspirados, o problema recai na voz e nas letras. A abertura do álbum fica a cargo de "Cheers Motherfuckers", refrão que é repetido até à exaustão com um inglês cheio de sotaque que NÃO é uma vantagem. É a voz que faz com que todas as músicas pareçam a mesma, pelo menos enquanto o vocalista Thierry Pitarch abre a boca. Há faixas em que mesmo quando isso acontece, somos capazes de ouvir hard rock de qualidade, como na faixa "Angry", que tem uma espantosa parte instrumental, com um grande solo.

O que faz lembrar algo. Se bandas instrumentais, começam a experimentar a compôr com vocalistas, como os Karma To Burn ou os The Ocean, bem que os franceses poderiam fazer o caminho inverso e começar a compôr álbuns instrumentais. De certeza de que o saldo seria bem mais positivo. Não deixa de ser um bom álbum de hard rock mas é sem dúvida limitado pela voz do vocalista, que em termos de timbre não é desagradável de todo, uma voz rouca que se enquadra bem no estilo, mas o sotaque e letas... deixam muito a desejar.
 
Nota: 6.5/10

Review por Fernando Ferreira