• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Iron Reagan - Crossover


Lich King - Omniclash


Demonic Resurrection - Dashavatar


Black Anvil - As Was


Benighted - Necrobreed


Mechina - As Embers Turn To Dust


Adamantine - Heroes & Villains


Barathrum - Fanatiko


Persefone - Aathma


Blame Zeus - Theory Of Perception


Kreator - Gods Of Violence


Lock Up - Demonization


Obituary - Obituary


H.O.S.T. - Bastard Of The Fallen Thrones


Antropomorphia - Sermon Ov Warth


Fall From Perfection - Metamorph


Pallbearer - Heartless


Mastodon - Emperor Of Sand


wolfheart - Tyhjyys


Sinister - Syncretism


Primal Attack - Heartless Oppressor


Grog - Ablutionary Rituals

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Visitantes

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Dying Fetus revelam detalhes do novo álbum

Os Dying Fetus vão lançar o seu novo álbum, "Wrong One To Fuck With", a 23 de Junho pela editora Relapse Records, e será o tão aguardado sucessor de "Reign Supreme", lançado em 2012.(...)

Novembers Doom - Novo álbum disponível para audição na íntegra

O novo álbum dos norte-americanos Novembers Doom, intitulado "Hamartia", é lançado hoje pela The End Records. Este trabalho pode ser ouvido na íntegra através desta ligação. (...)

SWR Barroselas Metalfest XX - Horários das atuações

Ampliando a imagem acima, é possível conhecer o horário de atuação de cada uma das bandas que irá compor o SWR Barroselas Metalfest XX. Recorde-se que o festival ocorre entre os dias 27 e 30 de Abril, em Barroselas. (...)

Tony Iommi está a trabalhar em novo material de Black Sabbath

O já conhecido guitarrista dos Black Sabbath, Tony Iommi confirmou em entrevista que está neste momento a juntar e trabalhar o som do último concerto que a banda deu, em Birmingham, e também há rumores(...)

Tankard lançam novo vídeo com letra

Os Tankard lançaram um novo video com letra para a música "Arena Of The True Lies", que fará parte do seu sétimo álbum de estúdio, "One Foot In The Grave"(...)


“Notturno” veio com pré-aviso: o teaser, do tema “Kern”, já fazia antever a sonoridade obscura e incomensurável, deste segundo álbum de estúdio de Australasia, o projecto a solo do multi-instrumentista italiano, Gian Salluto.

Distante dos clichés típicos da música instrumental, este álbum de post-rock/ black metal prima pelas paisagens sonoras, extremadas por uma bateria explosiva, que não se rende às guitarras etéreas e à retro-sonoridade dos sintetizadores.
Esta é a fórmula mágica de um álbum que começa tímido mas que se expande, ao longo dos seus nove temas, com carácter individual, mas que integram, por justaposição, a incursão ao lado soturno e sensorial da “natureza que transcende a miséria humana”, proposta por Gian.

O álbum resvala, por isso, numa experiência (quase) biográfica, cuja emotividade sonora nos permite empatizar com a sua melancolia reconfortante, balizada pela audição das bandas sonoras de Ennio Morricone e pelo metal extremo da juventude de Gian.

"Notturno" é um álbum complexo, para ser experienciado como quem ouve poesia. Aliás, até Edgar Allan Poe é servido, ainda que em baixa dosagem, na segunda faixa do álbum, “Eden”.
Mas a transversalidade artística não se fica por aqui: “Haxo” e “Amnesia” apropriaram-se do enredo do filme “Hound of the Baskervilles”, de 1939, baseado no romance policial de Sir Arthur Conan Doyle (que Gian leu na infância) e cujos excertos do filme foram integrados no instrumental, numa espécie de introspecção induzida.

Por isso, “Notturno” devia trazer uma bula e a advertência expressa de que tem de ser consumido até ao fim, pela ordem indicada na “embalagem”! A audição avulsa de um ou outro tema do álbum pode comprometer a apreensão plena do imaginário Australasiano.
Ainda assim, a distinguir um tema, que seja a “Creature” e uma atenção redobrada à guitarra, a partir dos 3:37 minutos: o meridiano desta faixa e de todo o álbum, bem sugestiva do tecnicismo e expressividade de Gian Salluto. 

Do “Vertebra” (2013), o primeiro álbum de estúdio de Australasia, para este segundo trabalho, a voz foi rareando: apenas o tema “Invisible” conta com a presença fugaz, mas intensa, de Mina Carlucci, mas, refira-se, é suficiente, não desvirtua.

A experiência de “Notturno” finda com o tema homónimo, numa suave transição para a realidade, ao som de um piano magistral, que nos desperta para a genialidade do álbum. Excelente conceptualização sonora a que a imagem faz jus, pela arte gráfica de Ver Eversum.

Nota: 9/10

Review por Ângela Fontão Teixeira