• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


Depois da malfadada intro chamada de "Intro" somos fustigados por um death metal, meio groove, meio industrial, meio thrash metal e todo moderno, cortesia do tema título. Se calhar o termo "fustigado" não será o mais correcto já que a potência parece ficar algo aquém assim como a sua eficácia. A proposta deste quinteto francês acaba por não surpreender muito quem já anda nesta coisa do metal extremo há algum tempo. Não é o caso também de se tratar de um álbum inútil. Existem aqui bons momentos e boas indicações em relação a um eventual futuro.

Os riffs de "Full Destruction Of Time" e "Fuckin Rain" garantem o groove assim como a bateria é implacável, certinha como um relógio suiço. A produção é poderosa, com os graves bem presentes como se quer quando o assunto é death metal moderno. No entanto, onde este "Human Machine" se espalha um pouco ao comprido é em faixas como "Over That Game" e "Lies" onde as duas são bastante similares - isto numa primeira audição claro. Este é um sentimento que vai crescendo conforme o álbum avança e que impede que se consiga distinguir umas faixas das outras.

Ou seja, faltam dinâmicas. Mesmo uma música com "The Last Dance" onde existe claramente uma abordagem diferente, essa sensação de mais do mesmo parece estar sempre presente. Chugga-chuggas constantes, guturais e um baixo e bateria ligados como se fossem siameses poderá ter sido a fórmula de sucesso para muitos músicos, mas a avaliar pelo sentimento que fica após a audição dos "Human Machine", não será certamente o caso. Falta aqui qualquer coisa, qualquer coisa além dos lugares comuns de estilos ou bandas que já fizeram sucesso no passado.

Nota: 5/10

Review por Fernando Ferreira