• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)


Lembram-se dos Dimmu Borgir? Ali por alturas do “Enthrone Darkness Triumphant” ou, máximo dos máximos “Spiritual Black Dimensions”? É por aí que esta estreia dos Images At Twilight se baseia. Se juntarmos Bal-Sagoth por alturas do "Black Moon Broods Over Lemuria" e os primeiros trabalhos de Anorexia Nervosa, a comparação fica perfeita. Traduzindo para quem não conheça os álbuns ou os grupos em questão, temos black metal vitaminado praticamente afogado em pistas de teclados. Pela descrição já deverão ter notado de que se trata de um problema. Não é um problema muito grave mas é efectivamente um problema.

A questão acaba por ser o facto das músicas serem demasiado bombásticas. Demasiado..."muita-coisa-a-acontecer-ao-mesmo-tempo". Também têm um pouco um sindrome "S & M" dos Metallica, onde por vezes as orquestrações e as guitarras, baixo e bateria parece que não se conjugam da melhor forma. Juntando isso ao facto das faixas, exceptuando pela "Created To Destroy" (que também é um interlúdio instrumental e orquestral), serem todas superiores a seis minutos, estão reunidas as condições para que se tenham um daqueles álbuns que ainda não chegou a meio e já se está cansado. Tendo ainda em conta que são sessenta e oito minutos de música, o tempo começa a passar mais devagar enquanto estamos a ouvir "Kings".

Acrescentando o facto de que se trata de um álbum onde temos, aparentemente, duas histórias. O curioso é que os diversos capítulos, de ambas as histórias, surgem misturadas e por ordem diferente. Ou seja, sabemos que neste tipo de música, é complicado seguir qualquer história que seja, mas pelo menos poderíamos fingir que estávamos a seguir a narrativa. Verdade seja dita que musicalmente dificilmente existe qualquer distinção entre as diversas faixas. Apesar da riqueza inegável da música, torna-se difícil de apreciar em todo o seu esplendor sendo demasiado para que o ouvinte se consiga inteirar de uma vez só. Não fosse o facto de ser algo cansativo, poderia ser um ponto positivo. Neste caso, falta ligeiramente a paciência para se conseguir apreciar na totalidade.

 
Nota: 6/10

Review por Fernando Ferreira