• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Para quem pensava que o stoner instrumental era exclusivo aos norte-americanos Karma To Burn, temos aqui os suiços Dog Days a provar precisamente o contrário. Álbum de estreia com oito músicas que rockam como tudo e que não terão muita dificuldade em cativar os aficionados. Desde a abertura "Saluki" até ao épico "Komondor", temos um pouco mais de quartenta minutos de música rock como manda a lei. Aquilo que o difere dos já mencionados Karma To Burn é o uso mais descarado da guitarra solo, quando os Karma To Burn optam por usar mais a força e o groove dos riffs.

Ainda assim, os riffs também têm uma palavra dizer com "Malamute", "Broholmer" e "Lancashire Heeler", tendo uma preponderância defintiva no resultado final, ficando, no entanto, uma pequena sensação de algo falta. A grande causa desta falta é sobretudo ao som da guitarra que poderia soar bem mais forte do que aquilo que soa. Caso pudessemos encontrar aqui mais força nas guitarras, tal como encontramos nos Karma To Burn, então este trabalho seria bem mais forte do que aquilo que é realmente. De qualquer forma, é um álbum que flui muito bem, sem qualquer dificuldade e sem a sensação de que temos enchidos.

É uma boa banda que se revela assim e da qual esperamos desenvolvimentos em relação ao futuro próximo.


Nota: 7/10

Review por Fernando Ferreira