• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes

Symphony X - Underworld




Riverside - Love Fear And The Time Machine




Amorphis - Under The Red Cloud





Flayed - Monster Man




Ivanhoe - 7 Days




Elferya - Eden's Fall




Spektr - The Art To Disappear




Rab - Rab 2




Exumer - The Raging Tides




Tales Of The Tomb - Volume One Morprhas




Dimino - Old Habits Die Hard




Roxxcalibur - Gems Of The NWOBHM





The Fifth Alliance - Death Poems




Augrimmer - Moth And The Moon




The Great Tyrant - The Trouble With Being Born




Weeping Silence - Opus IV - Oblivion




Watercolour Ghosts - Watercolour Ghosts




Hexx - Under The Spell/ No Escape




Deseized - A Thousand Forms Of Action




Razor Rape - Orgy In Guts




Sadist - Hyaena




Xandria - Fire & Ashes




Alien Syndrome 777 - Outer




Asylum Pyre - Spirited Away




Canyon Of The Skell - Canyon Of The Skull




Chron Goblin - Blackwater




Extreme Cold Winter - Paradise Ends Here

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Visitantes

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



















Entrevista aos Wintersun

Os Wintersun estão de volta mas só acede ao novo álbum “The Forest Seasons” quem participar na campanha de crowdfunding que se iniciou no dia 1 de março e que terminará no dia 31 do mesmo mês. (...)

Vallenfyre revelam detalhes do novo álbum

O próximo álbum dos Vallenfyre, intitulado "Fear Those Who Fear Him", será lançado a 2 de Junho pela Century Media Records. O 3º álbum da banda foi gravado (...)

Hail Of Bullets chegam ao fim

A guerra dos Hail Of Bullets chegou ao fim. A banda holandesa colocou um término na sua luta e para a história ficaram álbuns como "...of Frost and War", (...)

Novembers Doom lançam novo vídeo

Os Novembers Doom, banda oriunda de Chicago, acaba de lançar um novo vídeo com a letra. Retirada do seu décimo álbum, “Zephyr”, foi, desta feita, a escolhida.(...)

Testament preparam lançamento de novo álbum e livro

Apesar do seu último álbum "Brotherhood Of The Snake" ter sido lançado há apenas cinco meses, os Testament encontram-se já a trabalhar no seu sucessor. A revelação surgiu numa entrevista(...)


A discografia dos Boris é enorme mas mesmo assim não se compara à dos Merzbow (embora seja basicamente uma one-man-band, gostamos de nos referir a Merzbow como uma entidade colectiva. Pancadas). Se os Boris são mais convencionais na sua esquisitice, tendo trabalhos que vão desde o pop até ao doom mais monolítico, os Merzbow são a experimentação em pessoa/entidade/cena. Não é a primeira vez que estes dois monstros da música experimental japonesa se encontram. Para ser preciso, é a terceira vez e o resultado foi um disco duplo de música desafiante e, porque não, desconfortável.

Para quem conhece as duas entidades em questão, não é nada de extraordinário – não querendo afirmar que é um lançamento banal, apenas que é dentro da linha do que já lhes conhecemos – mas mesmo assim tem potencial para várias viagens, por diversas tapeçarias sonoras. Em “Farewell” temos algo bastante próximo do pós-rock psicadélico, com cheirinho a drone/doom (só a visualização desta mistura é vencedora); “Huge” continua no drone, ligeiramente opressivo em relação a “Farewell” mas igualmente prazeiroso”; “Resonance” é um pequeno jogo de percussão com o que parecem ser objectos/instrumentos de lata; “Rainbows” mergulha no shoegaze, new wave, rock indie e psicadelismo, enquanto “Sometimes” é fusão muito bem sucedida entre o doom, pós rock e shoegaze; “Heavy Rain” é um deslumbro em poderio emocional que tem de tudo um pouco daquilo que mencionámos atrás e acaba com um toquezinho noise.

Ainda temos “Akuma No Uta”, um drone doom gigantesco do qual não nos cansamos de ouvir; “Akirame Flower” é a junção perfeita entre um drone lento e shoegaze e “Vomitself” acaba com um dronezão bem ameaçador, daqueles que até dá gosto. E este é o primeiro disco.  Para o segundo disco temos os mega-épicos “Planet         Of The Cows”, “Goloka Pt. 1”, “Goloka Pt.2” e terminando com “Prelude To A Broken Arm” são puro noise, dentro da estrutura que é comum, não sendo aconselhável aos sensíveis de ouvidos. É um festim noise do mais alto gabarito, ou seja, o pesadelo para muitos daqueles que não suportam experimentalismo. É mais um festim a não perder de duas das entidades mais poderosas do Oriente.


Nota: 9/10

Review por Fernando Ferreira