• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


A discografia dos Boris é enorme mas mesmo assim não se compara à dos Merzbow (embora seja basicamente uma one-man-band, gostamos de nos referir a Merzbow como uma entidade colectiva. Pancadas). Se os Boris são mais convencionais na sua esquisitice, tendo trabalhos que vão desde o pop até ao doom mais monolítico, os Merzbow são a experimentação em pessoa/entidade/cena. Não é a primeira vez que estes dois monstros da música experimental japonesa se encontram. Para ser preciso, é a terceira vez e o resultado foi um disco duplo de música desafiante e, porque não, desconfortável.

Para quem conhece as duas entidades em questão, não é nada de extraordinário – não querendo afirmar que é um lançamento banal, apenas que é dentro da linha do que já lhes conhecemos – mas mesmo assim tem potencial para várias viagens, por diversas tapeçarias sonoras. Em “Farewell” temos algo bastante próximo do pós-rock psicadélico, com cheirinho a drone/doom (só a visualização desta mistura é vencedora); “Huge” continua no drone, ligeiramente opressivo em relação a “Farewell” mas igualmente prazeiroso”; “Resonance” é um pequeno jogo de percussão com o que parecem ser objectos/instrumentos de lata; “Rainbows” mergulha no shoegaze, new wave, rock indie e psicadelismo, enquanto “Sometimes” é fusão muito bem sucedida entre o doom, pós rock e shoegaze; “Heavy Rain” é um deslumbro em poderio emocional que tem de tudo um pouco daquilo que mencionámos atrás e acaba com um toquezinho noise.

Ainda temos “Akuma No Uta”, um drone doom gigantesco do qual não nos cansamos de ouvir; “Akirame Flower” é a junção perfeita entre um drone lento e shoegaze e “Vomitself” acaba com um dronezão bem ameaçador, daqueles que até dá gosto. E este é o primeiro disco.  Para o segundo disco temos os mega-épicos “Planet         Of The Cows”, “Goloka Pt. 1”, “Goloka Pt.2” e terminando com “Prelude To A Broken Arm” são puro noise, dentro da estrutura que é comum, não sendo aconselhável aos sensíveis de ouvidos. É um festim noise do mais alto gabarito, ou seja, o pesadelo para muitos daqueles que não suportam experimentalismo. É mais um festim a não perder de duas das entidades mais poderosas do Oriente.


Nota: 9/10

Review por Fernando Ferreira