• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Visitantes

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)


É fascinante ver a forma como os Wormed conseguiram passar para um estatuto de coqueluches do death metal técnico em pouco tempo. O seu primeiro álbum lançado há mais de dez anos atrás impressionou mas foi com “Exodromos” em 2013 (precisamente dez anos após o lançamento da estreia “Planisphaerium”) que as águas se começaram a movimentar definitivamente. E também foi graças a esse segundo álbum que as expectativas para este terceiro – o tal – eram mais que muitas. Nestes casos a questão é sempre se as expectativas são ou não correspondidas.

Podem ficar descansados, quem estava apreensivo.

Para todos aqueles que tinham ficado hipnotizados pela fórmula própria de death metal bruto e técnico da banda espanhola, tem aqui mais trinta e quatro minutos (e uns trocos) de música onde o género é muito bem tratado, principalmente comparando com o beco sem saída criativo que muitas entidades se encontram irremediavelmente presas. Aqui, graças também ao conceito da banda, temos uma abordagem que não deixa de ser refrescante, apesar de, neste álbum em específico, se sinta por momentos que não seja tão imediato como o anterior for.

Mas isso é bom certo?

Afinal, estamos a falar de (death) metal e não de pop que tem que ser consumido por milhões de ovelhas acéfalas por esse mundo fora. E como tal, se temos um álbum de death metal técnico, bruto todos dias, que não nos entra à primeira, por inteiro pelo menos, então esse é um excelente sinal. A questão é que mesmo que “Krighsu” não entre à primeira, consegue-nos cativar e intrigar o suficiente para que nos faça repetir constantemente as audições. E sim, continuamos a falar de death metal bruto e técnico. O vício instala-se e a banda consegue surpreender ao não fazer exactamente aquilo que se esperava, o que só nos prova que para se ser criativo “só” é preciso ser genial.


Nota: 9/10

Review por Fernando Ferreira