• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)


Pelo quarto ano consecutivo, o Portalegre Core, festival que traz aos portalegrenses as sonoridades "pesadas" - Punk, Hardcore e Metal - voltou a realizar-se com bastante adesão do público na Quina das Beatas, no CAEP. 

Durante dois dias, um mais dedicado ao punk e hardcore, outro mais ao metal, tiveram sobretudo apostas nacionais, com bandas de vários locais do país e ainda uma de Espanha. O estilos das bandas variavam, mesmo dentro dos três já referidos, numa festa regada a cerveja (indispensável, diria).

No primeiro dia, sexta-feira, o destaque vai para os cabeças-de-cartaz Trinta & Um, que deram um concerto cheio de energia e musicalmente irrepreensível. O público portalegrense demorava sempre um pouco a ir para a frente, mas acabava sempre por aderir, puxado pela energia das bandas.

No segundo e último dia, mais para os "metaleiros", destaque para o concerto de Tales For The Unspoken, que foi bastante bem conseguido e que, tal como o seu vocalista mencionou, "conseguiu tirar os fumadores da varanda". Os portuenses Revolution Within fecharam esta noite repleta de "moshes" com uma actuação digna dos cabeças-de-cartaz do festival e encerraram com um "wall of death". Melhor maneira de acabar uma edição de um festival de "sons pesados", não há.

Em suma, todas as bandas deram um contributo importante para o festival, começando pelas que abriram os dias - sempre com a espinhosa tarefa de puxar os primeiros festivaleiros para o groove certo - passando pelos cabeças-de-cartaz e terminando nos DJs, a quem coube encerrar as hostilidades. O público, esse, para quem frequenta a Quina das Beatas, sabe que adere e colabora com os artistas, por isso, para todos, esta menção.

Como isto também funciona para os dois lado, também o público presente no CAEP teve a oportunidade de adquirir o merchandise das bandas que marcaram presença, sempre uma ajuda importante, face à conjuntura em que vivemos.

"Jurema" sai como maior vencedora do I Festival de Curtas


Outras das apostas para este ano da Associação Cultural Portalegre Core, foi a realização, em paralelo com o festival de música, um Festival de Curtas-Metragens.

Eram quatro as curtas metragens a concurso, todas realizadas por jovens com ligações à cidade de Portalegre. “Becoming” de Márcio Leiria venceu na categoria de Animação e “Jurema” de Bruno Rodrigues na categoria de ficção. “Jurema” ganhou ainda o prémio de melhor curta metragem nesta primeira edição. As outras curtas em concurso foram "Agorofobia" de Joana Isabel e 7:00 de Eduardo Farinha e Patrícia Meira.


Balanço da IV edição do Festival

Hugo Correia, Presidente da Associação Cultural Portalegre Core, em entrevista, afirmou que faz um balanço "muito positivo dos dois dias de Festival" sobretudo, em relação ao ano passado, porque foi a única vez em que se repetiu o local do festival. "Tivemos mais adesão este ano, o público tem-nos dado um feedback muito bom, um pouco similar aos anos anteriores", disse.

Quando ao dinheiro que o festival custa, este explicou "que Associação não tem lucro, chega mesmo a investir" e ideia é mesmo essa: todos os anos ter uma "almofada" financeira, em conjunto com parceiros estratégicos e patrocinadores, para que se possa realizar mais um ano. "Trabalhamos ano a ano, com vontade crescer e manter o nível de qualidade artística que tem vindo a habituar o nosso fiel público", conclui.

"É importante também realçar o feedback que temos das bandas, em geral. Nós, enquanto organizadores, na maioria, também somos músicos e gostamos de dar às bandas que recebemos aquilo que gostamos de ter quando vamos actuar a outros locais. Todas [as bandas] têm saído daqui satisfeitas, pelo que nos dizem, e algumas até dizem que nunca tinham sido tão bem recebidos como em Portalegre, o que é bom para nós e nos dá ainda mais vontade de continuar a fazer este evento", fez questão de acrescentar.

Para o próximo ano (e sem dar garantias de nada), Hugo Correia afirma que querem continuar a realizar o festival e que a aposta "irá continuar no punk, hardcore e metal, num movimento mais underground" que sempre os caracterizou.


Por: Carlos Ribeiro - 19 Setembro 17