• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Chegava à capital mais uma noite com o cunho da Hell Xis Agency, desta feita com o clássico dos clássicos do crossover. Na passada sexta-feira, dia 10 de Novembro, fomos então até ao RCA Club, em Alvalade, para testemunhar o regresso dos Cro-Mags, devidamente acompanhados pelos nacionais Dimension e Ground & Pound.

Curto e grosso foi o lema que se fez ouvir desde cedo entre os presentes. Ainda com a sala a meio gás, coube aos portuenses Ground & Pound animarem o público mais dedicado à sonoridade hardcore, naquela que foi a sua estreia nos palcos da capital. Com uma energia contagiante e aquela atitude DIY, mantiveram-se fiéis ao som das ruas e apresentaram-nos temas como “This Is My Way”, “Money’s Just a Paper” e “318”, em honra à sala de ensaios que ocupam na Invicta.

Sem grandes demoras entre soundchecks, subiram ao palco os Dimension, que conta com a participação de Poli Correia na voz, já nosso conhecido de outros projetos dentro do género. Com uma sonoridade única, fizeram um RCA já mais composto vibrar com as suas influências mais groovy, tão típicas de bandas como Helmet e Down, e conseguiram (finalmente) arrancar o headbanging e um mosh tímido, de um público que parecia estar a guardar-se para uma calorosa receção aos nova iorquinos Cro-Mags. A uma atuação onde contámos com temas como “Life Is A Mistery” e “Out For Life”, acompanhado pela voz do público, relembra-se o significado de família no hardcore e ainda que ali a música ainda significa protesto, e não há espaço para ideais racistas ou fascistas.

Dispensam qualquer apresentação e foi mesmo assim, sem meias medidas, que subiam ao palco os Cro-Mags. Mal se ouviram os primeiros segundos de “World Peace” o público libertou toda a energia acumulada num mosh instantâneo e frenético, sendo que a grade colocada à frente do palco pouco efeito surtiu, a quem não se conteve na prática do stage diving. A banda não deu um segundo de descanso ao seu público e rapidamente nos apercebemos que estávamos na presença de verdadeiros fãs. Poder recordar aquela caótica tarde que viveram com os fãs portugueses, há cerca de 11 anos atrás, em Cacilhas, acabou por se revelar a melhor maneira de terminar esta tour europeia. Não faltaram os chavões gritados a plenos pulmões, em temas como “Malfunction”, “Show You No Mercy” ou “Seekers Of The Truth”, e ainda tivemos direito a uma cover de “Attitude” dos, também eles clássicos no movimento, Bad Brains. Sem deixar de lado a mensagem política e de protesto, a mensagem foi que devíamos passar menos tempo a lutar entre nós e usar esse tempo para nos unirmos contra o inimigo comum. Talvez se pudesse ter investido um pouco mais na iluminação da sala, durante a atuação da banda, fator que se tornou algo irrelevante numa noite que nos pareceu curta demais. Poder ver bandas como esta ao vivo é e será sempre um marco na vida de qualquer um.

Texto por Andreia Teixeira
Agradecimentos: Hellxis