• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


O nome desta tour poucas dúvidas deixava relativamente ao que se poderia esperar daquela noite. Através da Prime Artists, a The Wrong Tour To Fuck With trazia a solo nacional os norte-americanos Dying Fetus, devidamente acompanhados por outros três nomes de peso na cena death metal actual, Psycroptic, Beyond Creation e Disentomb. No dia 12 de Novembro, fomos então até ao Lisboa ao Vivo (LAV) para celebrar a estreia das quatro bandas na capital e, embora psicologicamente preparados, mal sabíamos o que ainda estava para vir.

Numa fria e aparentemente pacífica noite de domingo, coube aos australianos Disentomb dar início às hostilidades e nada melhor do que um death/grind bem apurado para aquecer aqueles que se deslocaram até ao local mais cedo. Embora com uma sala tímida, e alguma dificuldade em ouvir a guitarra, os temas do seu último trabalho “Misery” foram um excelente ponto de partida para a construção de uma atmosfera simplesmente castigadora, que duraria até ao final da noite, e para que se começasse a acumular alguma energia cinética no pit.

Sob a máxima de “agradar a gregos e troianos”, a segunda banda a subir a palco naquela noite seriam os Beyond Creation e ficou claro que mantém uma base de fãs bastante fiel por terras lusas. Os canadianos são atualmente um dos porta-estandartes da vertente mais técnica e progressiva do death metal moderno, com uma melodia única habilmente intrincada, na paisagem instrumental mais agreste. Com uma setlist curta e sobretudo assente no seu mais recente “Earthborn Evolution”, o concerto soube a pouco. Não nos teríamos importado nada de os ouvir durante mais meia hora (no mínimo). Cirurgicamente colocadas nessa setlist, e sobre uma bateria já de si prepotente, estiveram as guitarras dos temas “Earthborn Evolution” e “Fundamental Process.”

Já o calor se fazia sentir dentro daquela sala, tanto pelo movimento como pelo número de pessoas que rapidamente havia duplicado. Já com quase 20 anos de carreira, era então a vez dos Psycroptic nos baralharem as ideias e amassarem o corpo. Seguindo os horários à risca, mas sem perder a atitude inconformada que lhes é característica, estes donos de um technical death metal onde as influências são mais do que muitas, não pararam de surpreender os ouvidos dos presentes (mesmo dos mais conhecedores). Com um vocalista que mais parecia ligado à corrente, o movimento e interação com o público foi constante, o que contribuiu para garantir que ninguém tirava os olhos daquele palco, durante toda a performance.


Parece que à terceira ainda não tinha sido de vez e, já algo cansados de tanto aconchego, os presentes só souberam pedir por mais. Num regresso ao nosso país passados três anos, e desta feita mais a sul, chegava a hora de fazer mexer as hordas ao ritmo alucinante do death metal que os Dying Fetus nos oferecem há mais de 25 anos. Veteranos ou não, estes norte-americanos não deixaram o caos por mãos alheias e ajudaram a reforçar a ideia de que o público português foi também talhado para este tipo de sonoridade e agressividade. De banners em palco e sempre a par e passo de uma plateia que não lhes deu segundo de descanso, entre um contínuo mosh e crowdsurfing, este trio relembrou de que fibra é feito este género musical, tanto pelos seus músicos como pelo seu público. Ali se passou mais de uma hora de agressão sonora, deambulantes entre temas dos álbuns mais recentes da banda, “Reign Supreme” e claro “The Wrong One To Fuck With” lançado no início deste ano. Entre estes não pôde faltar o tema que deu nome a esta tour e entre os momentos altos da noite ficaram outros tantos temas como “From Womb To Waste”, “Invert the Idols”, “Fixated on Devastation” e “Grotesque Impalement.” Só podemos pedir mais noites destas, desde que devidamente espaçadas para total recuperação.


Texto por Andreia Teixeira
Fotografia por Hugo Rebelo
Agradecimentos: Prime Artists