• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Total Pageviews

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































The Sword vão entrar num hiato

Corte quase fatal no futuro dos The Sword, uma vez que a banda texana anunciou há dias que fará uma pausa, embora tenha lançado ainda em março (...)

Hate Eternal lançam áudio de "Nothingness of Being"

A banda de death metal irá lançar o novo álbum, Upon Desolate Sands, a 26 de outubro através da Season Of Mist. Depois de desvendar (...)

Alterações no alinhamento do Festival Bardoada e Ajcoi

O Festival Bardoada e Ajcoi anunciou a substituição de duas das bandas previamente confirmadas. (...)

Marky Ramone em Portugal no próximo mês

O veterano Marky Ramone tem dois espectáculos marcados para o nosso país, que serão nada mais, nada menos, do que o warm up para o Lisbon Tattoo Rock Fest 2018. (...)

Behemoth lançam nova música "Wolves Ov Siberia"

"Wolves Ov Siberia", o novo vídeo de Behemoth, pode ser visto acima. A música faz parte do próximo álbum da banda, "I Loved You At Your Darkest", (...)



O processo invertido, do diamante polido ao diamante em bruto. 
  
Vamos directos ao assunto: Necro Rock N' Roll. Falamos, obviamente, de Filii Nigrantium Infernalium.

Qualquer seguidor do coletivo está habituado a aguardar períodos indefinidos pelas obras destes, mas "Fellatrix", não é de todo desconhecido das hordes. Em 2005 é lançada a primeira versão do disco "Fellatrix Discordia Pantocrator", considerado pela banda o "Pathos" para o produto final. A descida ao Pireu e assim a sua ascensão. 
  
Se o tempo lima arestas, no caso do Fellatrix as arestas tornaram-se acutilantes e, entenda-se, muito favoravelmente. Primeiramente, começo por referir a produção deste álbum. Prima esta pela qualidade que tanto contribui para uma nova percepção das linhas que já nos são familiares, como também abre um novo caminho para as alterações que tornam o "Fellatrix" a elevação do "Fellatrix Discordia Pantocrator". Uma produção com qualidade, sem cair nos excessos da superprodução. Um bom exemplo é como a linha de baixo debitado por Helregni, não só é perceptível, como temos a possibilidade de a apreciar do início ao fim do disco.  
  
Uma fórmula já experimentada no meio é a conciliação entre Black e Death Metal, mas se há habilidade que considero colossal em FNI, é a fusão Black/Heavy Metal e Iron fist, a novidade neste colectivo, vem reforçar a vertente Heavy Metal do Necro Rock N'Roll filliano. Deo Gratias. Contudo, o trabalho de Iron fist não está encarcerado no rótulo do Heavy Metal, reparem nos temas "Calypso", "Vermes de Guerra" e "Bordel Vaticanal no Éden de Deus". 
  
Uma diferença substancial do "Fellatrix" para a versão anterior é a percussão e, mais uma vez, numa nota favorável. Quem aprecia linhas de bateria em que a execução do baterista se alinha com efeitos digitais, eventualmente preferirá a linha de bateria da demo no entanto, em "Fellatrix" a percussão é precisamente o resultado oposto: eclética e técnica sem sobrecarga de efeitos. E uma das dinâmicas fantásticas deste disco, são os momentos em que um solo de heavy metal é reforçado por um d-beat ou um blastbeat na bateria. E refiro com bastante relevância a influência punk neste disco porque, precisamente no "Fellatrix Discordia Pantocrator", esta, ficou na sombra: Temas relevantes: "Forca", "Eixos do Caos", "Sacra Morte".  
  
Se notas positivas não fossem suficientes, avançamos mais uma: a vocalização. A evolução e maturação é a nota principal, como se de um vinho se tratasse. Habituados estamos aos gritos dolorosos e insanos de Belathauzer e, o contraste para a demo, é precisamente o domínio das passagens de gutural a agudo (e vice-versa). O reflexo de influências como Accept, Judas Priest e Kind Diamond tornaram-se capacidades vocais de Belathauzer. A registar a participação de Mantus nos backing vocals. 

Temas referência: "Eixos do Caos", "Vermes de Guerra", "Möira" 
  
Aconselhado a fãs de: NWOBHM, Black Metal da 1ª vaga, Street Punk dos anos 70/80, Thrash/Speed Metal dos anos 80 e de Karlheinz Stockhausen.

Nota: 9.5/10

Review por Susiana Pinto