• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































The Sword vão entrar num hiato

Corte quase fatal no futuro dos The Sword, uma vez que a banda texana anunciou há dias que fará uma pausa, embora tenha lançado ainda em março (...)

Hate Eternal lançam áudio de "Nothingness of Being"

A banda de death metal irá lançar o novo álbum, Upon Desolate Sands, a 26 de outubro através da Season Of Mist. Depois de desvendar (...)

Alterações no alinhamento do Festival Bardoada e Ajcoi

O Festival Bardoada e Ajcoi anunciou a substituição de duas das bandas previamente confirmadas. (...)

Marky Ramone em Portugal no próximo mês

O veterano Marky Ramone tem dois espectáculos marcados para o nosso país, que serão nada mais, nada menos, do que o warm up para o Lisbon Tattoo Rock Fest 2018. (...)

Behemoth lançam nova música "Wolves Ov Siberia"

"Wolves Ov Siberia", o novo vídeo de Behemoth, pode ser visto acima. A música faz parte do próximo álbum da banda, "I Loved You At Your Darkest", (...)



Estivemos presentes no dia de peso do Rock In Rio Lisboa e deixamo-vos aqui a reportagem. Infelizmente não pudemos estar no Palco Sunset mas estivemos do início ao fim a assistir ao que se passou no Palco Mundo.

Os Soulfly deram um bom concerto durante uma hora, sendo que a banda de Max Cavalera já conta com 7 álbuns de estúdio, o que lhes permite ter um bom número de temas para escolher para tocar. Debitaram temas de quase todos os seus álbuns inclusive "Bloodbath And Beyond" do recém lançado "Omen". Não faltaram músicas como "Prophecy", "Seek And Strike", "Back To The Primitive", "Unleash", "Eye For an Eye" entre outras. A adesão do público foi muito boa, com muito mosh, circle pit, headbanging, Wall Of Death, saltos e cantando os refrões dos temas com muito fervor. Claro que às covers de Sepultura que a banda tocou a reacção foi ainda maior, "Refuse-Resist", "Troops Of Doom" (com o filho adolescente de Max, Igor na bateria), "Attitude" e "Roots Bloody Roots" levaram à loucura os presentes.



Seguiram-se os Motörhead. Os veteranos liderados por Lemmy Kilmister deram um concerto competente e enérgico, onde mostraram como se faz Rock 'n' Roll. Durante uma hora de actuação não faltaram alguns dos clássicos de 35 anos de carreira: "Iron Fist", "Stay Clean", "Metropolis", "Over The Top" "Killed By Dead" e claro, o final com os incontornáveis "Ace Of Spades" e "Overkill" satisfez os fãs presentes. Assim como um solo de guitarra de Phil Campbell e um grande solo de bateria por parte de Mikkey Dee, músicos que acompanham Lemmy desde '84 e '92 respectivamente. O concerto ficou marcado não só pela boa actuação da banda, mas também pelos problemas técnicos logo no início do concerto, que levaram ao corte de som no início de "Iron Fist", clássico este que a banda não chegou a terminar de tocar devido ao ocorrido.

Em seguida actuaram os Megadeth que protagonizaram o melhor espectáculo da noite pelo menos em termos musicais. Instrumentalmente a roçar a perfeição, levaram o público ao rubro, sendo sem dúvida o concerto em que o público mais cantou. A voz de Mustaine é que não esteve tão boa como noutros dias, como por exemplo quando a banda actuou no Priest Feast o ano passado no Pavilhão Atlântico. Aí o líder dos Megadeth teve bastante bem vocalmente.
Mas voltando ao Rock In Rio, foi um desfilar de clássicos por parte da banda durante uma hora e quinze minutos: o concerto iniciou com "Trust", "In My Darkest Hour" e "Skin O' My Teeth", seguindo-se a parte mais marcante do concerto: o grupo tocou 6 músicas seguidas do álbum clássico "Rust In Peace" no ano em que se celebra 20 anos após o seu lançamento. "Holy Wars... The Punishment Due", "Hangar 18", "Five Magics", "Poison Was The Cure", "Tornado of Souls" e "Rust In Peace... Polaris" foram os temas desse álbum tocados pelo colectivo Norte Americano para loucura dos fãs presentes. Em seguida tocaram "Headcrusher" tema mais recente do bem recebido álbum "Endgame". O espectáculo terminou em grande com 4 clássicos incontornáveis dos Megadeth: "Sweating Bullets", "A Tout Le Monde", "Symphony Of Destruction", "Peace Sells... (But Who's Buying?)", com uma incursão pelo meio dos anos '90 com "She Wolf".


Aos Germânicos Rammstein coube a tarefa de fechar o dia e o festival. Estes também tinham muita gente para os ver como se pôde ver pela reacção do público. A banda que beneficiou de um som bastante mais alto do que as anteriores, deu um espectáculo baseado em temas dos seus últimos trabalhos, juntamente com alguns dos primeiros álbuns tão bem conhecidos do público como: "Feuer Frei", "Du Riechst So Gut", "Links 2 3 4", "Du Hast", "Sonne" e "Ich Will", que foram os mais bem recebidos por parte dos espectadores. Não podia faltar a hilariante "Pussy", onde o vocalista Till Lindemann disparou um canhão com espuma e confettis para cima do público que se encontrava na frente. Não faltou também o habitual barco de borracha em que o teclista foi transportado pelos presentes até perto da mesa de som, isto no tema "Haifisch". Como não podia deixar de ser, houve muita pirotecnia: o vocalista no tema "Ich Tu Dir Weh" atirou fagulhas ao teclista; incendiou um roadie durante "Benzin"; os braços da dupla de guitarristas "Richard Z. Kruspe" e "Paul Landers" deitaram fogo na música "Du Rieschst So Gut" e houve fogo a passar por cima do público em "Du Hast". O espectáculo pirotécnico aliado à música fizeram as delicias dos fãs de Rammstein que assistiram a este concerto no final do Rock In Rio.


Review por Mário Rodrigues
Fotografias por Diana Fernandes