• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































The Sword vão entrar num hiato

Corte quase fatal no futuro dos The Sword, uma vez que a banda texana anunciou há dias que fará uma pausa, embora tenha lançado ainda em março (...)

Hate Eternal lançam áudio de "Nothingness of Being"

A banda de death metal irá lançar o novo álbum, Upon Desolate Sands, a 26 de outubro através da Season Of Mist. Depois de desvendar (...)

Alterações no alinhamento do Festival Bardoada e Ajcoi

O Festival Bardoada e Ajcoi anunciou a substituição de duas das bandas previamente confirmadas. (...)

Marky Ramone em Portugal no próximo mês

O veterano Marky Ramone tem dois espectáculos marcados para o nosso país, que serão nada mais, nada menos, do que o warm up para o Lisbon Tattoo Rock Fest 2018. (...)

Behemoth lançam nova música "Wolves Ov Siberia"

"Wolves Ov Siberia", o novo vídeo de Behemoth, pode ser visto acima. A música faz parte do próximo álbum da banda, "I Loved You At Your Darkest", (...)


Festa rija era o que prometia ser a noite quente que se viveu no passado dia 4 de Julho no TMN ao Vivo.

Foi ao som de "Love Of My Life", dos míticos Queen, que a Besta entrou em palco pronta a destruir e a começar da melhor maneira o evento. Num registo bastante diferente dos seus sucessores mas que chamava já algum público para a frente do palco, a banda apresentou-se com Sérgio Batista, o novo vocalista, naquele que foi um concerto onde a Besta não deu tréguas (como aliás, já é normal) e apresentou um concerto demlidor que só pecou de tão curto, numa descarga de grindcore capaz de trazer à vida até as almas mais adormecidas.


Passaram 15 minutos e começou a ouvir-se nas colunas do espaço a música de introdução dos The Killing Floor. "Time for The Killing Floor" fazia prever a entrada do quarteto norte-americano que se apresentou pronto a conquistar o público português. Com uma sonoridade bastante mais "acessível", se é permitido o termo, encontravam-se pela primeira vez no nosso país para apresentar o seu único álbum até à data, homónimo. O vocalista ia agradecendo em português ao longo daquele que foi um concerto envolvente e que, apesar de ser num estilo diferente, parecia ser do agrado do público, que aos poucos parecia convencido com esta estreia no nosso país. Tempo para dedicar "Star baby" à banda que se seguia, os The Quartet Of Woah!, e de tocar ainda temas que pareciam fazer sucesso como "Shout" ou "Perfect Paradise" naqueles que foram 40 minutos que o grupo fez questão que fossem uma festa para se mostrarem ao público português.

Foi com "Ultrabomb" na calha que os The Quartet Of Woah! se apresentaram ao público lisboeta e voltaram a pôr a música nacional no palco da sala do Cais do Sodré. Com o seu rock bastante característico, a utilização de teclados trouxe uma nova dimensão ao evento, dando um toque especial e criando o ambiente perfeito ao qual o público respondia bem e parecia gostar. Numa sonoridade difícil de caracterizar  é essencialmente rock que dá prazer a quem o faz e a quem o ouve, a julgar pela reacção do público em temas como "The Machine Limps Toward The End", um dos momentos mais calmos da actuação, "Slingshot", cantada a par com o homem das teclas que tanto se destacou ou "U Turn", o último tema do concerto e também do álbum de estreia deste quarteto de Lisboa.

Passava já da 1 da manhã quando os Miss Lava começaram a sua descarga que se prolongou durante 50 minutos e onde houve um equilíbrio perfeito entre os temas dos até agora 2 álbuns do grupo. Conseguindo criar uma sólida base de fãs nestes últimos anos, era visível que boa parte do público conhecia o quarteto de stoner rock liderado por Johnny Lee e não foi surpresa a adesão sobretudo em "Ride", um dos singles de "Red Supergiant", lançado em Setembro do ano passado, ou "Feel My Grace", também do mesmo álbum. De resto, em todos os temas a banda demonstrava a sua já conhecida energia em palco e o público respondia bem, cantando as letras das músicas e movimentando-se junto ao palco. O regresso aos tempos do álbum de estreia foi feito ao som das já míticas "Black Rainbow", "Revolt" e "Don't Tell a Soul". Já no encore tempo ainda para "Sleeping With The Angels", do primeiríssimo lançamento da banda, um EP homónimo que data já de 2008 e que não envergonhou os verdadeiros fãs que demonstraram conhecer também esse tema. Depois de alguma insistência do público e com a devida autorização os membros pegam de novo nos instrumentos e Johnny voltou a palco para o derradeiro tema da noite, "Catch The Fire", que mandou para casa toda a gente visivelmente feliz com a noite que tinha passado.


Texto por Bruno Correia
Fotografias por Pedro Roque
Agradecimentos: Incubadora D'Artes