• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)


Uma das bandas de culto da cena extrema alemã está de volta, embora, como já foi possível apreciar em nossas críticas passadas aos seus trabalhos, culto não signifique automaticamente qualidade. No caso dos Eisregen temos uma série de diversos e diferentes elementos misturados no mesmo caldeirão, disparando em muitas direcções mas nem sempre acertando no alvo. “Marschmusik” é já o décimo primeiro álbum da banda e surpreendentemente até nem acusa o desgaste que álbuns anteriores acusaram, quer em termos criativos, quer em termos de criatividade.

Cantando sempre em alemão, como já costume, os temas surgem com uma capacidade melódica inesperada, mesmo quando o peso é considerável. “Blutkreis” é um bom exemplo embora tenha que se referir que aquele refrão parece que poderia estar num álbum dos Rammstein. Outro dos nomes que também vem à memória são os Rotting Christ e os Samael. Independentemente disso, é sem dúvida o trabalho mais forte da banda alemã nos últimos tempos, mas isso também não quer dizer que seja uma obra obrigatória. Não há nada que os Eisregen nos mostrem que não tinha sido feito antes e melhor. E esta toada acaba por condenar um pouco a apreciação deste álbum que aos poucos vai cansando.

A toada de temas como “Adlerhorst” também não ajuda em nada, acusando o toque no que diz respeito a uma dinâmica a precisar de um pouco mais de ajuda. Certamente que este será um trabalho que fará a banda crescer mais um pouco no mercado alemã mas que dificilmente fará com que sejam vistos com outros olhos fora das fronteiras do seu país – mesmo que admitamos que o que podemos ouvir neste álbum é superior a todos os seus recentes lançamentos. Para quem gosta MESMO MUITO da mistura entre metal (não muito) extremo e sonoridades e sensibilidades mais góticas.


Nota: 6/10

Review por Fernando Ferreira