• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


Metalcore já levou muitas tareias nas páginas desta webzine. Não que tenhamos algo de pessoal contra o estilo ou as bandas que os praticam. Não de todo. A nossa questão é bem simples. È o sentir que o estilo já não é capaz de trazer nada de novo e que muitas das propostas que nos chegam - com excepções de excelente qualidade - não são mais que tentativas desesperadas de editoras e/ou bandas que se tenta manter relevantes comercialmente a todo o custo apresentando um produto (no verdadeiro sentido da palavra) de consumo rápido e com prazo muito limitado. Tirando isto do caminho só resta ainda esclarecer que o facto dos Hills Have Eyes serem uma banda nacional não influencia em nada a abordagem a este "Antebellum", o terceiro álbum da carreira da banda.

Na sua estrutura, este é um álbum de metalcore, que não existam enganos. Temos aqui todos os seus tiques, lugares comuns, clichês, o que lhe queiram chamar, está tudo cá. Tudo o que achamos de condenável milhares de vezes em álbuns anteriores está presente aqui. No entanto, a nossa apreciação global deste trabalho é bem diferente do que seria expectável. E porquê? Por uma questão simples, as músicas são realmente muito boas. Mesmo com características que já nos cansam os ouvidos, os refrões de cada uma destas músicas cola-se à cabeça e para quem pensa que é fácil fazer isso é porque também não percebe muito de música.

No entanto não é a questão de fazer apenas simples refrões que se colam na cabeça como pastilha elástica usada, é o facto de se ter verdadeiras músicas que soam realmente bem, e a que a direcção adoptada pela banda em relação ao passado é sem dúvida mais metal. Claro que quem tiver um preconceito bem profundo contra o estilo, não é este o trabalho que vai fazer mudar de ideias. Mas para quem tem a mente e os ouvidos um pouco mais abertos e aprecia melodias e peso na mesma equação, então "Antebellum" é sem dúvida um trabalho obrigatório conhecer, provavelmente o mais equilibrado e maduro da banda portuguesa.


Nota: 8/10

Review por Fernando Ferreira