• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Os Twitching Tongues são um bicho difícil de classificar. A sua mistura muito própria entre o metal moderno carregado de groove (com certos toques de thrash metal – contribuindo muito a voz de Colin Young que tem muito de Phil Rind dos Sacred Reich nas suas cordas vocais – que nos faz pensar em bandas clássicas como Corrosion Of Conformity, Crowbar e os próprios Sacred Reich) e um espírito hardcore que não se pode inserir em nada do que é moda actualmente faz com que os primeiros momentos deste trabalho seja gasto a tentar enquadrar a banda numa qualquer categoria pré-concebida. Quando se desiste desta busca infrutífera, já vamos bem avançados na audição de Disharmony”.

A questão é… neste ponto, o que seria comum seria deixar ir e não pensar mais nisso, mas há algo de tão profundamente intrigante na música dos Twitching Tongues que nos obriga a voltar atrás e tentar perceber o que raio se está a passar. Não é para desanimar, mas mesmo após algumas intensas audições deste terceiro álbum, não se pode dizer que se tenha a tarefa facilitada. Ainda assim, o que acontece, e essa é a parte a salientar, apesar de não se conseguir encaixar em nenhuma prateleira pré-fabricada, a forma como se aprecia este álbum é intensa. A surpresa que temas como “Love Conquers None” provocam e a forma como se instalaram na nossa mente sem pedir autorização é um dos indicadores da qualidade que esta banda tem para apresentar músicas memoráveis.

Entre a estranheza, o peso e a melodia, “Disharmony” é uma boa surpresa a justificar por inteiro a aposta da Metal Blade.  É certo que vai necessitar de alguma paciência e insistência para voltar para uma nova audição e que a cada vez que isso acontece, existe efectivamente um crescimento das malhas aqui apresentadas, mas também é certo que essa insistência surge naturalmente, ou seja, o seu elemento misterioso acaba por funcionar a seu favor, isto se lhe for dada a devida hipótese. Apenas um álbum fora do normal é capaz de apresentar três formas diferentes de fazer música de seguida – a melodia de “Arrival”,  a brutalidade e peso de “The End Of Love” e o factor épico “Cruci Fiction” – e mesmo assim conseguir manter a mesma identidade e o mesmo fio condutor ao longo de tudo o trabalho.


Nota: 8.5/10

Review por Fernando Ferreira