• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Iron Reagan - Crossover


Lich King - Omniclash


Demonic Resurrection - Dashavatar


Black Anvil - As Was


Benighted - Necrobreed


Mechina - As Embers Turn To Dust


Adamantine - Heroes & Villains


Barathrum - Fanatiko


Persefone - Aathma


Blame Zeus - Theory Of Perception


Kreator - Gods Of Violence


Lock Up - Demonization


Obituary - Obituary


H.O.S.T. - Bastard Of The Fallen Thrones


Antropomorphia - Sermon Ov Warth


Fall From Perfection - Metamorph


Pallbearer - Heartless


Mastodon - Emperor Of Sand


wolfheart - Tyhjyys


Sinister - Syncretism


Primal Attack - Heartless Oppressor


Grog - Ablutionary Rituals

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Visitantes

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Entrevista aos Venom Inc

Os Venom Inc nasceram em meados de 2015 como uma nova banda que reúne toda a força e poder dos seus membros: Tony “Demolition Man” Dolan (baixo/voz) com os membros originais de Venom – Jeff “Mantas” Dunn (guitarra) and Anthony “Abaddon” Bray (bateria). A banda tem estado em tournée(...)

Falecimento do antigo baixista de Celtic Frost

O antigo baixista e membro fundador de Celtic Frost e de Hellhamer Martin Eric Ain, faleceu no passado sábado dia 21 de Outubro, aos 50 anos de idade. A causa da morte foi (...)

Novo álbum de Pestilence em Março

Os Pestilence irão lançar o seu novo álbum "Hadeon", em Março, pela Hammerheart Records. Este trabalho terá treze faixas que combinam as raízes de Pestilence, com a sua (...)

Arch Enemy com novo vídeo "The Race"

Os Arch Enemy acabam de lançar mais um vídeo do seu novo álbum, "Will To Power", que foi lançado no dia 8 de setembro através da Century Media.(...)

Angel Dust estão de volta!

A banda alemã informou através da sua página de Facebook que está de volta e já em estúdio a gravar o seu próximo trabalho. Depois de se terem separado em 2011, (...)


O retro continua na ordem do dia. É o que se pode concluir quando um álbum como este auto-intitulado é lançado pela Metal Blade Records, uma das mais influentes editoras de metal a nível mundial. No entanto, é importante fazer a ressalva que mesmo no meio da maralha há sempre coisas boas que nos surgem e que poderiam potencialmente passar ao lado. Felizmente o pessoal da Metal Blade não anda a dormir pelo que esta estreia auto-intitulada é cá uma pomada daquelas que merecem ser apreciadas por décadas a fio. Imagine o seguinte, caro leitor assíduo das nossas análises. Imagine um mundo onde teríamos na mesma rodela nomes como Deep Purple (da fase “Machine Head”)/ Rainbow (da fase Dio),  Uriah Heep (dos dois primeiros álbuns), Black Sabbath (também dos primórdios) e ainda aqui e ali coisas de Scorpions, U.F.O. e Iron Maiden, sem esquecer, claro está, a restante N.W.O.B.H.M..

É um álbum que passa num instante. As músicas fluem como mel pela garganta dorida de tosse abaixo. Com uma musicalidade impressionante, é de apreciar a forma como as músicas conseguem tanto ser encaixadas na década de setenta, como na década de oitenta (nos seus primórdios, é certo) e ao mesmo tempo soar contemporâneas – porque isto do retro, por muito que seja o ir buscar ao passado ideias e tiques, acaba sempre por deixar migalhas da era em que se está inserido. A questão da originalidade poderá ser sempre importante para aqueles que são mais exigentes e existem por aqui alguns momentos em que a mesma é colocada nitidamente em causa (o riff da “Madness And Magick” é tão gamado da “Country Girl” dos Black Sabbath com o Dio na voz que de certeza que era coisa para haverem processos judiciais) mas são questões que perante o produto final ficam nitidamente de parte.

Este será mais um trabalho a juntar a uma já longa lista de álbuns que apesar de serem lançados na actualidade, fazem sentir o ouvinte como se estivesse noutra época – ou neste caso, outras épocas, como foi afirmado atrás. Portanto, vício garantido para todos os amantes de hard rock clássico, proto heavy metal e claro, heavy metal como mandam as regras clássicas do estilo.


Nota: 9/10

Review por Fernando Ferreira