• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Iron Reagan - Crossover


Lich King - Omniclash


Demonic Resurrection - Dashavatar


Black Anvil - As Was


Benighted - Necrobreed


Mechina - As Embers Turn To Dust


Adamantine - Heroes & Villains


Barathrum - Fanatiko


Persefone - Aathma


Blame Zeus - Theory Of Perception


Kreator - Gods Of Violence


Lock Up - Demonization


Obituary - Obituary


H.O.S.T. - Bastard Of The Fallen Thrones


Antropomorphia - Sermon Ov Warth


Fall From Perfection - Metamorph


Pallbearer - Heartless


Mastodon - Emperor Of Sand


wolfheart - Tyhjyys


Sinister - Syncretism


Primal Attack - Heartless Oppressor


Grog - Ablutionary Rituals

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Visitantes

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Entrevista aos Venom Inc

Os Venom Inc nasceram em meados de 2015 como uma nova banda que reúne toda a força e poder dos seus membros: Tony “Demolition Man” Dolan (baixo/voz) com os membros originais de Venom – Jeff “Mantas” Dunn (guitarra) and Anthony “Abaddon” Bray (bateria). A banda tem estado em tournée(...)

Falecimento do antigo baixista de Celtic Frost

O antigo baixista e membro fundador de Celtic Frost e de Hellhamer Martin Eric Ain, faleceu no passado sábado dia 21 de Outubro, aos 50 anos de idade. A causa da morte foi (...)

Novo álbum de Pestilence em Março

Os Pestilence irão lançar o seu novo álbum "Hadeon", em Março, pela Hammerheart Records. Este trabalho terá treze faixas que combinam as raízes de Pestilence, com a sua (...)

Arch Enemy com novo vídeo "The Race"

Os Arch Enemy acabam de lançar mais um vídeo do seu novo álbum, "Will To Power", que foi lançado no dia 8 de setembro através da Century Media.(...)

Angel Dust estão de volta!

A banda alemã informou através da sua página de Facebook que está de volta e já em estúdio a gravar o seu próximo trabalho. Depois de se terem separado em 2011, (...)



O que temos quando juntamos alguns dos nomes mais sonantes da música extrema portuguesa? Obviamente um grande álbum. Com Pedro Pedra (dos Grog) e Hugo Silva (dos Downthroat) nas vozes, Hugo Andremon (nos Grog, Filii Nigrantium Infernalium e Simbiose) e José Marreiros (nos Neoplasmah e Martelo Negro) nas guitarras, Simão Santos (também nos Martelo Negro) no baixo e com Rolando Barros (Grog, Neoplasmah, The Firstborn, entre muitos outros) na bateria. Com uma equipa destas é quase impossível não termos um trabalho vencedor, mesmo sabendo que muitas (demasiadas) das vezes a soma dos talentos individuais não resulta propriamente em trabalhos brilhantes.

Primeira coisa a esclarecer, o que temos aqui é grindcore. Uma forma pouco usual mas ainda assim grindcore. Ao longo de catorze faixas, o ouvinte é transportado para um novo patamar no que ao grindcore diz respeito. Não é dizer que se trata de um trabalho revolucionário - dificilmente se poderia apresentar algo no grindcore que fosse tão original e que ao mesmo tempo se mantivesse fiel às raízes do género. "Where's Your God" apresenta-se como um tema de abertura com potência suficiente para deixar logo os grinders de orelhas em pé pelos seus riffs memoráveis - uma das grandes características deste álbum - e pela impressionante máquina debulhadora que é Rolando Barros atrás do kit de bateria.

A abordagem vocal pelos dois monstros é intocável, dinâmica e brutal como se quer, conjugado com um grande trabalho no departamento das guitarras - "Indecipherable Me" e "I" são apenas dois bons exemplos tanto na parte dos riffs como dos solos. No entanto, o que realmente faz a diferença é o ambiente geral do álbum que faz com que o mesmo se destaque no meio de todas propostas do género. Se pegarmos na última faixa, "The Prophecy - Convulsion Earth", a mesma acaba com uma longa secção de noise/ambient que dura por cerca de dez minutos e que hipnotiza o ouvinte, embora o grinder habitual possa ter a tentação de passar adiante. É um primeiro trabalho que coloca os Di.soul.ved como uma das entidades a seguir dentro da música extrema a nacional. Apesar das catorze faixas, trinta e quatro minutos soa a pouco, mas também no grindcore é melhor as coisas ficarem "short but sweet". Esperemos que seja um projecto/banda para ficar. E que venha daí o segundo volume!


Nota: 8.5/10

Review por Fernando Ferreira