• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Já perdemos a conta às novas bandas que surgiram com álbuns de estreia neste ano de 2015 e que a maior parte delas conseguiu surpreender pela positiva. Os Kvltist são apenas mais um exemplo. Um duo na vertente mais comum do estilo (um cuida de todos os instrumentos e algumas vozes, neste caso MZI, enquanto outro apenas da voz, neste caso Amon Xul). Claro que o género é o black metal, como já estava bem implícito. O duo alemão aparenta vir de França, ou seja, a sua identidade musical assenta sobretudo no desconforto criado por melodias algumas vezes dissonantes (com o seu expoente máximo na “Darkest Light From Glaring Shadows”).

Quando se pega em fórmulas pré-estabelecidas, é muito fácil cair em becos sem saída e sem muito espaço para haver um crescimento. Felizmente não é de todo o que acontece aqui. As músicas conseguem dar bom uso às dinâmicas (e isto quando se tem temas com sete e nove minutos faz toda a diferença para que não exista um cansaço excessivo na globalidade do trabalho em si) e o álbum flui muito bem. No entanto, a sua grande vantagem é a forma como consegue estabelecer um ambiente e não nos enganamos, black metal é sobretudo a criação de um certo ambiente.  Recriar ambientes que fizeram sucesso (como por exemplo, um “Transylvanian Hunger” ou um “De Mysteriis Dom Sathanas”) é difícil mas não é impossível, no entanto, corre-se o risco de soar sempre a falso.

Aqui, por outro lado, o que temos é um ambiente que não sendo totalmente original é, pelo menos, único e mais não se lhes pode exigir. É também um trabalho complexo e intrincado que exige múltiplas audições por parte do ouvinte sem nunca se tornar aborrecido. Também é certo que não é propriamente o típico álbum para ouvir todos os dias (isto para quem aprecia coisas mais directas, claro). Ainda assim, assume-se como um trabalho ao qual se voltará muitas vezes no futuro. Boa surpresa e boa estreia. Mais um nome a seguir no black metal.


Nota: 8/10

Review por Fernando Ferreira