• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Há quase 20 anos atrás, a Xuxa Jurássica, liderada e idealizada por Miguel Gomes, começou a dar os primeiros passos na organização de eventos de música pesada em Portugal. Desde o punk ao metal, passando por inúmeras vertentes de rock e hardcore, os melhores nomes internacionais vieram pela mão de Xibanga e companhia. Numa noite que se adivinhava agridoce, além de ser o último evento da lendária promotora, seria também a despedida da mítica banda de hardcore Bane, que comemoram agora também duas décadas de existência.

Numa chamada de última hora, após um mal-entendido com o cartaz, em que Wolf Down acabou por não fazer parte do mesmo, vieram os lisboetas Shape, uma semana depois de no mesmo sítio abrirem para os mais modernos Being As An Ocean. Com um concerto mais morno que o costume, é notório que as faixas mais antigas continuam a ser as preferidas dos fãs, mas não deixa de ser visível que alguns dos temas mais recentes já são bem conhecidos pelos presentes. Faltando a clássica Life's Hard, souberam na mesma aquecer a sala, fechando o alinhamento com as já clássicas Rotten Inside e WYLD.

De seguida, directamente de Nova Iorque, e pela terceira vez em Portugal, os Backtrack mostraram o porquê de serem das bandas da actualidade com mais reconhecimento no meio Hardcore, com tours com alguns dos maiores nomes do mesmo, com direito ainda a inúmeros elogios dos próprios Bane. Tendo passado pela última vez no nosso país no início do presente ano, com os também lendários Madball e Strife, tiveram agora oportunidade de tocar um alinhamento um pouco mais comprido, arrancando com o tema-título do álbum que os lançou para a ribalta em 2011, Darker Half. Com um alinhamento maioritariamente centrado neste e no mais recente Lost In Life, faltou alguma energia por parte da própria banda, mas que o público soube compensar bem ao longo dos cerca de 40 minutos de concerto, onde houve espaço para faixas como The Worst of Both Worlds, Wash Away e Life's Plan.

Para fechar uma noite memorável, que a maioria dos presentes não irá esquecer tão cedo, com origem em Massachusetts, e nascidos como side-project do outrora guitarrista dos também míticos Converge, os Bane tornaram-se num dos pilares do Hardcore com uma mensagem positiva e com base na tolerância, na viragem da década de 90 para o século XXI. Depois de uma passagem em Cacilhas em 2012, e com o mais recente (e o final) lançamento de estúdio Don't Wait Up, do ano passado, chegam-nos agora na sua tour de despedida, 20 anos depois da sua formação. Com um alinhamento enérgico, houve espaço para clássicos como Ante Up e Can We Start Again, que juntou toda a sala em uníssono, assim como outras mais recentes como Calling Hours e Final Backward Glance. Uma hora recheada de stagedives e circle pits à antiga como há muito não se via em concertos de hardcore no nosso cantinho, houve ainda espaço para encore para fechar esta noite e o historial da Xuxa Jurássica com chave de ouro.

Texto por Afonso Veiga
Fotografias por Ana Júlia Sanches
Agradecimentos: Xuxa Jurássica