• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


E dá-lhe doom com alma. Nada mais sombrio que o belo do doom com teclados. Não, não são teclados sinfónicos a apelar ao romantismo. São mesmo daqueles que parece soar como pano de fundo para algum ritual macabro. Caso estejam com dificuldades em entender, ouvir por favor "Apocatastase". Aliás, a dita faixa amanda cá com um ritualismo que a sala onde estamos parece que se enche de fumo e começamos a ver tudo turvo isso. E sim, será sem dúvida sonoridades que apreciarão a sua dose de cannabis para que possa ser melhor aproveitada, embora quem não use de tal substância, poderá começar por aqui que o efeito deverá ser similar.

Mais do que doom ou funeral doom, há por aqui doses consideráveis de psicadelismo que são bem interessantes e que torna aquilo que tinha potencial para ser um aborrecimento algo ao qual se quer voltar a ouvir várias vezes. Embora o interesse verificado na dita faixa não volte, todas as restantes cinco contém os elementos referidos. A "Electric Path" vem num registo mais gritado e angustiante, fazendo o uso da repetição para perpetuar essa mesma angústia. "Skull's River", pelo seu início, é aquilo que se poderia chamar de pós-rock-doom, caso estivessemos interessados em criar um novo estilo e com imaginação (a mais). Move-se lentamente como se fosse um caracol com trezentos metros de largura e cento e cinquenta de largura. Mais uma vez a repetição a ter um papel preponderante.

A finalizar o álbum, duas faixas que funcionam como uma só: "Pétron" e "Bandana" e a resultar de forma perfeita. Uma arrasta-se como se tivesse perdido as pernas numa mina, a outra é cheia de groove, num instrumental que, mais uma vez, faz bom uso da repetição. Faltou referir que "Old Lands", o tema que abre o álbum, é de uma classe rara, a fazer-nos soar a outros tempos mas com um peso desgraçado, uma espécie de prequela para a já referida "Apocastase". Esta estreia é um grande álbum doom, para os seus verdadeiros fãs, já que não existem aqui concessões de qualquer tipo. É doom sujo e arrastado como se quer. Só para voar um bocadinho.


Nota: 8.3/10

Review por Fernando Ferreira