• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Iron Reagan - Crossover


Lich King - Omniclash


Demonic Resurrection - Dashavatar


Black Anvil - As Was


Benighted - Necrobreed


Mechina - As Embers Turn To Dust


Adamantine - Heroes & Villains


Barathrum - Fanatiko


Persefone - Aathma


Blame Zeus - Theory Of Perception


Kreator - Gods Of Violence


Lock Up - Demonization


Obituary - Obituary


H.O.S.T. - Bastard Of The Fallen Thrones


Antropomorphia - Sermon Ov Warth


Fall From Perfection - Metamorph


Pallbearer - Heartless


Mastodon - Emperor Of Sand


wolfheart - Tyhjyys


Sinister - Syncretism


Primal Attack - Heartless Oppressor


Grog - Ablutionary Rituals

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Visitantes

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Entrevista aos Venom Inc

Os Venom Inc nasceram em meados de 2015 como uma nova banda que reúne toda a força e poder dos seus membros: Tony “Demolition Man” Dolan (baixo/voz) com os membros originais de Venom – Jeff “Mantas” Dunn (guitarra) and Anthony “Abaddon” Bray (bateria). A banda tem estado em tournée(...)

Falecimento do antigo baixista de Celtic Frost

O antigo baixista e membro fundador de Celtic Frost e de Hellhamer Martin Eric Ain, faleceu no passado sábado dia 21 de Outubro, aos 50 anos de idade. A causa da morte foi (...)

Novo álbum de Pestilence em Março

Os Pestilence irão lançar o seu novo álbum "Hadeon", em Março, pela Hammerheart Records. Este trabalho terá treze faixas que combinam as raízes de Pestilence, com a sua (...)

Arch Enemy com novo vídeo "The Race"

Os Arch Enemy acabam de lançar mais um vídeo do seu novo álbum, "Will To Power", que foi lançado no dia 8 de setembro através da Century Media.(...)

Angel Dust estão de volta!

A banda alemã informou através da sua página de Facebook que está de volta e já em estúdio a gravar o seu próximo trabalho. Depois de se terem separado em 2011, (...)


E dá-lhe doom com alma. Nada mais sombrio que o belo do doom com teclados. Não, não são teclados sinfónicos a apelar ao romantismo. São mesmo daqueles que parece soar como pano de fundo para algum ritual macabro. Caso estejam com dificuldades em entender, ouvir por favor "Apocatastase". Aliás, a dita faixa amanda cá com um ritualismo que a sala onde estamos parece que se enche de fumo e começamos a ver tudo turvo isso. E sim, será sem dúvida sonoridades que apreciarão a sua dose de cannabis para que possa ser melhor aproveitada, embora quem não use de tal substância, poderá começar por aqui que o efeito deverá ser similar.

Mais do que doom ou funeral doom, há por aqui doses consideráveis de psicadelismo que são bem interessantes e que torna aquilo que tinha potencial para ser um aborrecimento algo ao qual se quer voltar a ouvir várias vezes. Embora o interesse verificado na dita faixa não volte, todas as restantes cinco contém os elementos referidos. A "Electric Path" vem num registo mais gritado e angustiante, fazendo o uso da repetição para perpetuar essa mesma angústia. "Skull's River", pelo seu início, é aquilo que se poderia chamar de pós-rock-doom, caso estivessemos interessados em criar um novo estilo e com imaginação (a mais). Move-se lentamente como se fosse um caracol com trezentos metros de largura e cento e cinquenta de largura. Mais uma vez a repetição a ter um papel preponderante.

A finalizar o álbum, duas faixas que funcionam como uma só: "Pétron" e "Bandana" e a resultar de forma perfeita. Uma arrasta-se como se tivesse perdido as pernas numa mina, a outra é cheia de groove, num instrumental que, mais uma vez, faz bom uso da repetição. Faltou referir que "Old Lands", o tema que abre o álbum, é de uma classe rara, a fazer-nos soar a outros tempos mas com um peso desgraçado, uma espécie de prequela para a já referida "Apocastase". Esta estreia é um grande álbum doom, para os seus verdadeiros fãs, já que não existem aqui concessões de qualquer tipo. É doom sujo e arrastado como se quer. Só para voar um bocadinho.


Nota: 8.3/10

Review por Fernando Ferreira