• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Total Pageviews

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































The Sword vão entrar num hiato

Corte quase fatal no futuro dos The Sword, uma vez que a banda texana anunciou há dias que fará uma pausa, embora tenha lançado ainda em março (...)

Hate Eternal lançam áudio de "Nothingness of Being"

A banda de death metal irá lançar o novo álbum, Upon Desolate Sands, a 26 de outubro através da Season Of Mist. Depois de desvendar (...)

Alterações no alinhamento do Festival Bardoada e Ajcoi

O Festival Bardoada e Ajcoi anunciou a substituição de duas das bandas previamente confirmadas. (...)

Marky Ramone em Portugal no próximo mês

O veterano Marky Ramone tem dois espectáculos marcados para o nosso país, que serão nada mais, nada menos, do que o warm up para o Lisbon Tattoo Rock Fest 2018. (...)

Behemoth lançam nova música "Wolves Ov Siberia"

"Wolves Ov Siberia", o novo vídeo de Behemoth, pode ser visto acima. A música faz parte do próximo álbum da banda, "I Loved You At Your Darkest", (...)


Senhores de um talento incrível, de uma destreza técnica admirável e de uma discografia que impõe respeito, os Symphony X são uma daquelas bandas que aconteça o que acontecer, já gravou o seu nome nos anais da história do metal progressivo, graças a edição de discos como "The Divine Wings of Traggedy", "V" ou "The Odissey".

Talvez por isso fique a ideia de que ultimamente o esforço da banda tem vindo a ser cada vez menor, resultando num decréscimo de qualidade dos seus discos, ainda que de forma pouco alarmante. E infelizmente o mais recente Underworld parece querer seguir essa mesma tendência. Aliás, se há coisa que este disco não faz é quebrar seja o que for, pois até o próprio feeling é totalmente reminiscente do anterior "Iconoclaust".

Como tal voltamos a ter uns Symphony X com as guitarras bem pesadas, épicos e claro, exuberantes como como só eles conseguem ser, com Russell Allen a debitar raivosas linhas melódicas como também tem vindo a ser apanágio desde The Odissey. Mas se é verdade que isto no papel soa tudo bem, quando ouvimos disco há muita coisa que soa forçada, e de repente a maioria das músicas tende mais para o filler do que para a obra-prima. Um refrão como de "Nevermore", por exemplo, é o género de coisa que ouvimos numa demo de uma banda de power metal de segunda categoria, e como se não bastasse, o tipo de coros e teclados orquestrais predominantes em Kiss of Fire já foi mais explorado na cena do que as vozes femininas no metal gótico.

E o que dizer dos solos do metre Michael Romeo? Naturalmente que o homem continua a fazer coisas quase impossíveis com as 6 cordas, mas sempre mais numa de exibicionismo do que pela canção em si, com as escalas a prolongarem-se em demasia e de certa forma a retirarem algum do espaço ao também ele virtuoso Michael Pinnella.

Mas não fiquem com a ideia que tudo é mau em "Underworld", pelo contrário há aqui muito material de fazer salivar tanto os fãs como amantes de música em geral. A faixa título é disso o maior exemplo, um daqueles temas genais de Symphony X, com peso, intensidade e um refrão para ficar na cabeça por muito tempo. "Swansong" e "Legend" também não desiludem pela mistura entre complexidade e as partes mais orelhudas, e mais uma vez Michael Romeo e cia voltam a mostrar como se faz uma balada de qualidade com "Without You", sem os clichês habituais do género.  

Mais do que um disco algo dececionante, "Underworld" revela acima de tudo algum cansaço por parte da banda (em termos técnicos de Michael Romeo) na parte criativa. Se calhar esta na altura dos Symphony X tentarem algo de novo, resta saber se isso será possível, e se não entraram num beco criativo. Esperemos que não, porque a banda já fez muito de bom por este subgénero musical.

Nota: 7.8/10

Review por António Salazar Antunes