• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


A Metal Imperium é um magazine bastante eclético. Nós gostamos de música. Obviamente que estamos concentrados no género que nos dá nome, no entanto, não nos recusamos a analisar outros tipos de música que até podem ter algum paralelismo ou afinidades com o metal. Ou até nem podem ter. Em relação aos Bootblacks, ainda não temos bem a certeza de que caso se trata, já que a banda é assumidamente new wave ou pós-punk, remetendo para bandas como Joy Division ou, claro, New Order, a banda que nasceu das cinzas dos Joy Division.

"Colorblind" e "Southpole" são os primeiros temas do álbum e fazem-nos recuar até aos finais da década de setenta e finais da década de oitenta, para uma corrente musical que ainda hoje tem fãs, embora longe do sucesso comercial da época. No entanto, apesar de poderem concluir das palavras atrás que se trata de um álbum retro e datado, que até é verdade, não deixa de ter os seus pés assentes nos dias de hoje. E em grande parte isso surge da produção impecável que faz com que sejam evidentes as semelhanças (para quem ainda não tinha reparado) entre o pós-rock e o new wave.

Também se pode inserir a banda naquela onda de revivalismo, muito apoiada por algumas bandas sonoras, em que usa os tiques de arranjos de teclados da altura. Sabemos que as modas funcionam por ciclos e que aquilo que foi bom ontem e não tem interesse hoje, vai voltar a fascinar amanhã. "Veins" é a típica representação disso mesmo, de um trabalho capaz de encontrar muitos fãs nos dias de hoje. Seria perfeito para uma banda sonora de um qualquer filme mais profundo ou trágico, já que há sempre por aqui uma certa melancolia presente.

Apesar de o podermos acusar como pouco original e datado, a verdade é que este conjunto de dez músicas é muito interessante e até chega a ter alguns temas bem viciantes - como a já citada "Colorblind", a "Drift" ou single de avanço "Sub Rosa" - e tem toda a sua razão de existir hoje, Março de 2016. Uma boa surpresa e recomendado apenas para aqueles de espírito aberto.

Nota: 8/10

Review por Fernando Ferreira