• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Total Pageviews

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































The Sword vão entrar num hiato

Corte quase fatal no futuro dos The Sword, uma vez que a banda texana anunciou há dias que fará uma pausa, embora tenha lançado ainda em março (...)

Hate Eternal lançam áudio de "Nothingness of Being"

A banda de death metal irá lançar o novo álbum, Upon Desolate Sands, a 26 de outubro através da Season Of Mist. Depois de desvendar (...)

Alterações no alinhamento do Festival Bardoada e Ajcoi

O Festival Bardoada e Ajcoi anunciou a substituição de duas das bandas previamente confirmadas. (...)

Marky Ramone em Portugal no próximo mês

O veterano Marky Ramone tem dois espectáculos marcados para o nosso país, que serão nada mais, nada menos, do que o warm up para o Lisbon Tattoo Rock Fest 2018. (...)

Behemoth lançam nova música "Wolves Ov Siberia"

"Wolves Ov Siberia", o novo vídeo de Behemoth, pode ser visto acima. A música faz parte do próximo álbum da banda, "I Loved You At Your Darkest", (...)


Este álbum não é uma surpresa nenhuma. Os Ereb Altor nunca esconderam a admiração que nutrem (sempre nutriram e sempre nutrirão) pelo trabalho levado a cabo por Quorthon sob a denominação de Bathory pelo que um álbum apenas com covers da mítica entidade seria algo inevitável. Só faltava saber quando. A resposta é agora. "Blot-Ilt-Taut" é essa mesma resposta. E que resposta. Para o fã de Bathory, deverá ser extremamente complicado escolher um alinhamento limitado das melhores faixas, embora existam malhas que sejam inevitáveis e independentemente dos gostos, que quase todas das sete aqui contidas de certeza de que estariam sempre presentes.

É certo que nos faltam alguns clássicos como a "13 Candles" ou a "Call Of The Grave" da fase mais black metal ou a "Shores In Flames" ou "One Rode To Asa Bay", mas também, são músicas que já tiveram tantas versões de tantas bandas, que seria um pouco chove no molhado. Assim resumidamente, temos uma brutalíssima "A Fine Day To Die", com a sequência surpreendente (surpreendente porque não seria as escolhas mais óbvias) "Song To Hall Up High" e "Home Of Once Brave" que são um luxo, passando para os dois malhões que representam a fase black metal da banda - "The Return Of The Darkness And Evil" e a "Woman Of Dark Desires", que acabam por ser os elos mais fracos desta equação - e acabando em luxo com a "Twilight Of The Gods" (que só peca por ser um pouco a despachar - tem menos quatro minutos que a original) e a "Blood Fire Death", clássicos imortais do metal.

É estranho mas este álbum de covers - e não esqueçamos que se trata apenas de um álbum de covers - consegue nos entusiasmar quase tanto como se tivesse sido lançado pelo próprio Quorthon, mas efectivamente é isso que acontece. Estas versões têm uma potência tão grande que não só fazem justiça aos originais, como conseguem transportar-nos para os mesmos locais onde fomos quando ouvimos pela primeira vez temas como "A Fine Day to Day" e "Twilight Of The Gods". Os originais serão sempre os originais e não temos aqui nada de revolucionarimente novo e isso seria razão mais que suficiente para deixar passar ao lado este álbum mas... a partir do momento em que não o conseguimos parar de ouvir, é porque isso, definitivamente, significa algo.


Nota: 9/10

Review por Fernando Ferreira