• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Total Pageviews

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































The Sword vão entrar num hiato

Corte quase fatal no futuro dos The Sword, uma vez que a banda texana anunciou há dias que fará uma pausa, embora tenha lançado ainda em março (...)

Hate Eternal lançam áudio de "Nothingness of Being"

A banda de death metal irá lançar o novo álbum, Upon Desolate Sands, a 26 de outubro através da Season Of Mist. Depois de desvendar (...)

Alterações no alinhamento do Festival Bardoada e Ajcoi

O Festival Bardoada e Ajcoi anunciou a substituição de duas das bandas previamente confirmadas. (...)

Marky Ramone em Portugal no próximo mês

O veterano Marky Ramone tem dois espectáculos marcados para o nosso país, que serão nada mais, nada menos, do que o warm up para o Lisbon Tattoo Rock Fest 2018. (...)

Behemoth lançam nova música "Wolves Ov Siberia"

"Wolves Ov Siberia", o novo vídeo de Behemoth, pode ser visto acima. A música faz parte do próximo álbum da banda, "I Loved You At Your Darkest", (...)


Já se tinham passado 27 anos. Sim, é isso mesmo, contámos 27 anos desde a primeira e única vez em que os míticos Anthrax pisaram os nossos palcos. Foi pela mão da Hell Xis Agency que nos chegou o regresso mais do que ansiado destes americanos, no passado dia 5 de Julho, e nós estivemos lá para ver. Os eborenses Mindtaker foram os escolhidos para abrir hostilidades numa noite que se previa quente. Se havia noite para o Cine Teatro Ginásio Clube de Corroios ferver, era esta.

Dias antes já se sentia o nervoso miudinho e burburinho que se gerava nas redes sociais sobre este concerto. Foi sem grande surpresa que chegámos a Corroios e nos deparámos com duas grandes filas, uma para troca de bilhetes (já esgotados) e outra para revista, devido às apertadas condições de segurança exigidas. Foi ainda com muita gente fora da sala que se puderam ouvir as primeiras malhas de Mindtaker.

Um projeto de thrash metal criado em 2012 e que não deixa grandes margens para dúvidas relativamente ao que esperar quando olhamos para os membros da banda alentejana. Os Mindtaker já deram inúmeras provas do que valem, principalmente se recordarmos a presença da banda no Wacken Open Air no ano passado. Nesta noite, não deixaram a tarefa por mão alheia e garantiram um bom espetáculo a todos os que chegaram mais cedo. Já com o seu som bem definido, demonstram bem a sua versatilidade e ficou claro que em palco se sentem como “peixes na água.” Entre temas como “Drink Beer For Thrash” e “Destruição Total” o convite foi “se souberem a letra acompanhem, se não souberem partam-se todos.” Sem dúvida que estes alentejanos souberam tomar conta da primeira parte da noite, contando já com uma sala muito bem composta.

Pensávamos nós que os Anthrax regressavam a Portugal por ocasião da sua For All Kings Tour e também por se ter juntado o útil ao agradável, tendo a banda concertos marcados no dia antes em Pamplona e no dia seguinte no Resurrection Fest. Mas como se pôde confirmar no decorrer da noite, o verdadeiro motivo deste regresso foram saudades. Saudades da banda, saudades do público, saudades de um concerto destes. Foi depois de terminar “Number Of The Beast” dos Iron Maiden que todas as luzes se apagaram e a reação do público foi instantânea, tornando-se quase ensurdecedora aos primeiros acordes de “Among The Living.” A partir do momento em que vimos Joey Belladonna, Frank Bello, Scott Ian, Jonathan Donais e Jon Dette em palco soubemos que pouco ou nada poderia ser tão importante naquele momento como o que estava prestes a acontecer dentro daquele recinto. Uma energia inesgotável, um ritmo alucinante e uma enorme boa disposição são, a existirem, as melhores expressões para descrever o que se viveu naquela noite. Seguia-se “Caught In a Mosh” e cedo se percebeu que seria problemático resistir e tentar sobreviver àquele ambiente caótico, principalmente estando tão perto do circle pit, facilmente um dos maiores que aquela sala já viu. Foi ao som de “Madhouse” que os Anthrax conseguiram levar o público à loucura e, já com mais de 50 anos, Belladonna continua a mostrar a todos aquilo que se espera de um frontman. Scott Ian chegou-se à frente para partilhar connosco que tinham “estado ligeiramente ocupados durante estes 27 anos” em tom de piada e também “obrigado por relembrarem como é tocar para vocês.” Do seu mais recente trabalho ouvimos “Breathing Lightning” e “All of Them Thieves”, mas foi com “Antisocial” e “Indians” que se conseguiu mostrar aquilo de que o público português é feito, com muito crowdsurf, sing along e cerveja pelo ar. Mesmo depois de terem espalhado dezenas de palhetas, baquetas e muita destruição, a banda sentiu que ainda não tinha sido o suficiente. Nós concordámos e eles decidiram tocar um tema que não fazia parte da setlist, exclusivamente para nós. Naquela sala e naquela noite todos nós fomos a lei ao som de mais um clássico, gritando a plenos pulmões “I Am the Law.” Não poderiam ter escolhido melhor forma de terminar e ainda nos deixaram uma promessa de regresso para o ano que vem. Nós já mal podemos esperar.

No espaço de um ano passam por Portugal Slayer, Anthrax e Metallica… faltando apenas um dos Big Four do thrash metal. Fica a dica.

Texto por Andreia Teixeira
Agradecimentos: Hell Xis