• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)


Skarlett Riot é uma jovem banda britânica que tem lançado material todos os anos desde a sua formação há sete anos. No passado dia 27 de Outubro, a Despotz Records lançou “Regenerate” e a Chloe falou com a Metal Imperium sobre isso. 


M.I. – Como descreverias o som de Skarlett Riot a quem não o conhece? 

Diria que somos uma banda de heavy rock/metal band, com influências dos Architects, Parkway Drive, Bullet For My Valentine e Skillet! Somos uma fusão de Katy Perry com Architects! [risos]


M.I. – Os membros da banda são todos muito novos… que bandas/músicos vos fizeram compreender que também queriam tocar? 

Tivemos muitas influências. Para mim foram as Heart, Joan Jett, Avril Lavigne, Bullet For My Valentine! Este pessoal fez com que eu quisesse cantar e tocar guitarra! 


M.I. – Como se juntaram? 

Conhecemo-nos na escola, o nosso guitarrista Dan e o baterista Luke são irmãos. Martin é o nosso membro mais recente e conhecemo-lo num concerto local. Desde aí temos sido inseparáveis! 


M.I. – A banda está activa há 7 anos e já lançou Eps, singles e álbuns, nomeadamente: Skarlett Riot, Villain, Faded Memory, Tear Me Down, House of Cards, We are the brave, Sentience, Brave, e Regenerate saiu no dia 27 de Outubro. Como conseguem ter tanto material editado tendo uma carreira tão curta?

[risos] A ideia é ir escrevendo e lançando o máximo de material possível para entusiasmar os fãs e para que eles continuem interessados em seguir a banda. Também gostamos de nos desafiar a melhorar com cada novo lançamento! 


M.I. – O novo álbum “Regenerate” tem 10 faixas. O que nos podes dizer sobre elas? Que temas abordam? 

“Break” e “Warrior” são sobre bullying. Queria que quem ouvisse estes temas se sentisse mais animado e forte por saber que não está sozinho. Se estes temas ajudarem alguém que está a passar por um mau momento, então sinto que cumpri a minha missão. Os outros temas, na sua maioria, falam de saúde mental, porque acho que este tema não tem visibilidade e decidi escrever sobre ele para que as pessoas fiquem mais conscientes e para ajudar aqueles que estão deprimidos. A ideia principal de 'Regenerate' é enviar uma mensagem positiva, para que as pessoas que o ouçam se sintam melhor consigo mesmas. 


M.I. – Sendo tão nova, o que te inspira para escrever as letras?

Escrevo sobre experiências pessoais e emoções, tudo o que estou a sentir no momento. Escrever sobre os meus sentimentos, ajuda-me a expressar-me. Também escrevo letras sobre filmes que vejo e que têm uma boa história. Escrevo sobre tudo o que me faz “sentir”. 


M.I. – A banda aprecia títulos de uma palavra só, especialmente no novo álbum todos os temas só têm uma palavra… porquê? 

[risos] Não foi propositado, apesar de achar que títulos de uma palavra só têm mais impacto do que títulos longos. 


M.I. – Qual o significado da capa do novo álbum? Para onde é que a jovem de capa com capuz preto está a olhar?

A jovem observa os edifícios estragados pela indústria enquanto o outro lado representa o futuro, brilhante e magnífico. A mensagem é que não importa quão difíceis são os momentos, nunca é tarde de mais para se mudar e começar de novo. Restabelecer, reconstruir, regenerar. 


M.I. – A mesma jovem também aparece na capa de “Break”. Porquê? Representa algo que irão usar a partir de agora? 

Ela representa a força e o poder. Alguém que já passou por muito mas que não tem medo de enfrentar o mundo e fica mais forte com isso. 


M.I. – Quão activos têm sido?

No ano passado tivemos alguns contratempos, mas estamos a compensá-los este ano. Estamos de volta e prontos para tocar!


M.I. – O álbum foi lançado pela Despotz Records. Como surgiu esta parceria? Que esperais dela?

O nosso management conhece Despotz Records e apresentou-nos. Acontece que eles gostaram tanto de 'Sentience EP' e queriam apoiar-nos para que a nossa música chegasse a todo o lado e nem queriam mudar o nosso estilo musical ou tentar influenciar a nossa criatividade, o que é muito raro hoje em dia. É bom ter quem nos apoie e acredite no nosso trabalho! 


M.I. - Se pudesses escolher uma banda para andar com Skarlett Riot em tournée, quem escolherias e porquê? 

Talvez os Nickelback por serem a única em que todos estamos de acordo. Todos gostamos de diferentes bandas mas os Nickelback são um gosto comum ;) Pessoalmente, escolheria Papa Roach ou Skillet por serem as minhas influências! 


M.I. – Haverá tournée para promover “Regenerate”?

Sim! Andaremos em tournée em Novembro e Dezembro. Em Novembro com Toseland e em Dezembro com Santa Cruz. Tocaremos pela primeira vez na Alemanha no mês de Dezembro e estamos muito entusiasmados! 


M.I. – Têm algum local especial onde seria um sonho tocarem?

Hmmmm.. Wembley Arena? E também na Vans Warped Tour na América!


M.I. – Os membros da banda são fãs de bandas de hard rock da velha guarda. Quem influenciou os vossos gostos musicais, já que vocês nem eram nascidos quando os Guns N’ Roses e as outras bandas de hard rock estavam no auge... os vossos pais eram fãs destas bandas?

Os tipos curtem Motley Crue, Def Leppard, Iron Maiden etc. Eu penso que são bandas inspiradoras porque ainda hoje são grandes e não há assim tantas bandas que consigam ficar juntas durante tantos anos como eles e mesmo assim conseguem encher arenas. É assim que queremos ser um dia! Este tipo de bandas é que fez com que quiséssemos tocar. Eu adoro Fleetwood Mac, Heart, Vixen, Joan Jett por serem icónes musicais. Penso que, de facto, os nossos pais também contribuíram para que descobríssemos estas bandas. 


M.I. – É fácil ou difícil ser vocalista feminina numa banda de rock? Já alguém da banda foi vítima de assédio? Como reagiu?

Quero acreditar que as mulheres são tratadas do mesmo modo que os homens mas, de vez em quando, leio comentários de pessoal a dizer que não gosta de bandas com vocalistas femininas e isso é chato porque nunca dizem que não ouvem uma banda só porque tem um vocalista masculino… mas tirando isso, não diria que é mais difícil do que estar numa banda só com homens. Felizmente, nunca fui assediada e o pessoal é todo muito porreiro e trata-nos bem. Temos a sorte de ter tão bons fãs.


M.I. – Qual o objectivo principal dos Skarlett Riot?

Dominar o mundo?! [risos]. Queremos expandir o nosso nome e a nossa música para que chegue ao máximo de pessoas possível. Adoraríamos andar em tournée pela Europa e conseguir ir aos EUA. 


M.I. – Li que vocês queriam lançar um perfume de Chicken Tikka quando fossem famosos… como vos surgiu esta ideia? Acham que venderia?

[risos] já foi há tanto tempo! Era uma piada com o baterista Luke, que acha que o seu suor cheira como tikka. Horrível, eu sei! Por isso eu disse para lançarmos um perfume assim... nunca se sabe, porque toda a gente gosta de tikka. 


M.I. – Deixa uma mensagem aos leitores da Metal Imperium.

Obrigada por lerem e apoiarem Skarlett Riot. Contactem-nos porque gostaríamos de falar com vocês! 

For English version, click here


Entrevista por Sónia Fonseca