• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Total Pageviews

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































The Sword vão entrar num hiato

Corte quase fatal no futuro dos The Sword, uma vez que a banda texana anunciou há dias que fará uma pausa, embora tenha lançado ainda em março (...)

Hate Eternal lançam áudio de "Nothingness of Being"

A banda de death metal irá lançar o novo álbum, Upon Desolate Sands, a 26 de outubro através da Season Of Mist. Depois de desvendar (...)

Alterações no alinhamento do Festival Bardoada e Ajcoi

O Festival Bardoada e Ajcoi anunciou a substituição de duas das bandas previamente confirmadas. (...)

Marky Ramone em Portugal no próximo mês

O veterano Marky Ramone tem dois espectáculos marcados para o nosso país, que serão nada mais, nada menos, do que o warm up para o Lisbon Tattoo Rock Fest 2018. (...)

Behemoth lançam nova música "Wolves Ov Siberia"

"Wolves Ov Siberia", o novo vídeo de Behemoth, pode ser visto acima. A música faz parte do próximo álbum da banda, "I Loved You At Your Darkest", (...)



O Stairway Club abriu pontualmente as suas portas às 22h30 para mais uma noite dedicada ao som mais pesado do panorama metálico, com um cartaz que incluía como cabeças de cartaz a banda sueca Frantic Amber, secundada pelos catalães Expel The Grace e o aquecimento a cargo dos locais Toxikull.

Uma hora depois, e sem a banda dos irmãos Carrapiço à vista, o palco é adornado com estandartes da banda de death metal melódico oriunda de Barcelona.
“Now I Can Hate You” iniciou as hostilidades, com o vocalista Umbra por várias vezes a invadir a plateia ainda bastante despida de público e girar o seu enorme cabelo à roda, enquanto vociferava um dos temas mais emblemáticos do seu EP “Disharmony” de 2017. Aliás, das oito faixas que a banda de Barcelona brindou quem se deslocou a Cascais, cinco delas foram exactamente as que compõem o EP. “Famine” e “Disharmony” mostraram a  qualidade desta jovem banda, com as meninas das Frantic Amber a colocar-se na primeira fila em forte simbiose com os espanhóis. “Under” marcou o regresso da banda a terrenos mais antigos, do EP de 2015 auto-intitulado, e que se prolongou por “Stolen”, velhinha mostra de thrash/death da demo de estreia datada de 2011. O final chegou com mais duas do EP, “Severed Hope” e “Finale”, com um encore mais que merecido com “(Miss)Erable”, a épica faixa do EP de 2015.


Final da actuação e eis que tomam posição no palco a banda da casa. Os Toxikull preparam-se para apresentar ao mundo a sua nova rodela, “The NightRaiser”, mas nesta noite o álbum “Black Sheep” de 2016 tomou papel principal, por problemas relacionados com uma das cabeças da munição do guitarrista-solo Miguel Carrapiço, que logo após a abertura do concerto a trezentos à hora com “Little Piece of Hell” decidiu não cooperar mais. Paragem forçada na apresentação, com tentativas sucessivas de solucionar o problema, que só veria a luz ao fundo do túnel com o empréstimo de uma substituta por parte dos Expel The Grace. Tudo a postos, Alex anuncia com pena o encurtamento da setlist e a partir daí o comboio Toxikull arrancou a elevada velocidade, levando tudo à sua frente. “Vicious Lies” antecedeu a nova “Surrender or Die”, antes de um final já habitual na banda, com os clássicos “The Shepperd” e “Black Sheep”. Apesar da boa disposição da banda, foi visível algum desânimo por não ter sido possível estender mais a actuação, talvez apresentando mais um ou outro tema novos...


Tempo para mudar algumas coisas no palco e poucos minutos depois já o mesmo era adornado pelos estandartes das suecas Frantic Amber. Oriundas de Estocolmo, a banda de death metal melódico vinha a Cascais apresentar o seu recente disco, “Burning Insight”, com a qual iniciou a apresentação ao público português, com o intro a ser ouvido pela sala enquanto a banda se perfilava de costas voltadas para o público junto à bateria de Mac Dalmanner, o único elemento do sexo masculino dos Frantic. Ao ambiente negro irrompe o som característico das suecas, guitarras a berrar, riffs intensos e uns guturais profundos de Elizabeth Andrews, uma antiga bailarina dinamarquesa, que comanda a actuação com uma teatralidade muito eficaz. A setlist é percorrida com velocidade estonteante e enorme peso no som destas raparigas, com o duelo de guitarras entre a japonesa Mio Jager e a sueca Mary Safstrand a fazer-se sentir em faixas como “Bleeding Sanity”, “Soar” e “Self Destruction”. A preceder “Entwined”, Elizabeth aproveita para muitos agradecimentos a quem as trouxe a Portugal e aos presentes, seguindo depois para “Grainne Mhaol” e a novidade “Lagertha”. “Ghost” encerra a apresentação do quinteto, mas a noite não podia acabar assim, com o público presente a regatear mais uma ou duas faixas. A sua receptividade foi recompensada com um duplo ancore, primeiro com uma versão demolidora de “Hammer Smashed Face” dos Cannibal Corpse, terminando com “Wrath of Judgement”, velhinha amostra do EP homónimo de 2010.


Texto e fotografias por Vasco Rodrigues
Agradecimentos: Amazing Events