• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Há um caminho que se percorre até “Almagest”. Começa-se em «Cold Confort», sete anos atrás, passa-se pelo exorcismo do Ep, «Quarto Vazio» há quatro anos, e depois entra-se em «Raging Light». Continuam presentes as goth/death/doom, mas há mais e percebe-se logo em “Dead Time”, segunda faixa do disco. O grupo cresceu, os novos elementos trouxeram algo que se fundiu no DNA do duo original e há aqui mais rock, por vezes até groovy, ou post-rock, em momentos mais soturnos e densos.

Os músicos cresceram, as músicas também, embora aqui e ali se encontre um excesso de composição, mas depois chega-se a “Almagest”. Dezassete minutos de som que esmagam, apesar da delicadeza das cordas que a anunciam, como folham outonal que lentamente cai, anunciando um inverno que chega. “Almagest” ofusca as demais faixas. Se até essa oitava faixa o disco corre acima da média, em “Almagest” supera-se. Sete anos, um álbum, um Ep e sete faixas até lá chegar. Soberba “Almagest”.

Nota: 8/10

Review por Rita Afonso