• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































The Sword vão entrar num hiato

Corte quase fatal no futuro dos The Sword, uma vez que a banda texana anunciou há dias que fará uma pausa, embora tenha lançado ainda em março (...)

Hate Eternal lançam áudio de "Nothingness of Being"

A banda de death metal irá lançar o novo álbum, Upon Desolate Sands, a 26 de outubro através da Season Of Mist. Depois de desvendar (...)

Alterações no alinhamento do Festival Bardoada e Ajcoi

O Festival Bardoada e Ajcoi anunciou a substituição de duas das bandas previamente confirmadas. (...)

Marky Ramone em Portugal no próximo mês

O veterano Marky Ramone tem dois espectáculos marcados para o nosso país, que serão nada mais, nada menos, do que o warm up para o Lisbon Tattoo Rock Fest 2018. (...)

Behemoth lançam nova música "Wolves Ov Siberia"

"Wolves Ov Siberia", o novo vídeo de Behemoth, pode ser visto acima. A música faz parte do próximo álbum da banda, "I Loved You At Your Darkest", (...)


Ermo é um daqueles nomes que não basta saber que existe, picar no youtube, virar para o lado e seguir em frente. Ermo é um grupo que em palco transcende o seu som, e o teatraliza através da vocalização/performance de António Costa. Entre uma mistura do álbum de 2013, “Vem Por Aqui”, e o EP “Amor Vezes Quatro”, escutou-se e viu-se um grupo singular que exibiu Pop Electrónica num espaço em que se demandava o post-Rock. O novo tema “Amélia” soou brilhante. Algures entre o fado e a Pop, germinados a partir de um flash de drone, os Ermo revelam-se hipnóticos, mas nem sempre serão fáceis de ver. Vencerá a persistência?

Mas a noite era para Earth, um nome antigo, que só à terceira tentativa conseguiu ganhar projecção e que passou quase desapercebida na primeira actuação em Portugal, na Casa da Música. Trazendo um grandioso álbum na bagagem, “Primitive And Deadly”, o trio discretamente assumiu o palco, de forma tão descontraída quanto cúmplice, com Dylan Carson a assumir o protagonismo, por vezes sendo o lado Metal, no som hipnótico do grupo. Adrienne Davies, nesta viagem sonora, fazia o papel de quem vai no banco de trás e a quem, ocasionalmente, se pergunta “vais bem?”. Ela assumia o papel de marcar o ritmo, e discretamente unia baixo e guitarra, mantendo uma união sonora naquilo que a todo o momento poderia descambar em viagens pessoais, pois tão livre era o som produzido por cada um dos atores.

“There’s a Serpente Coming”, “Even Hell Has It’s Heroes”, “Thorn By The Fox Of The Crescent Moon” e “From The Zodiacal Light” saíram do trabalho de 2014, mas a noite teve ainda outros momentos e recordações com temas como “High Comand”, “The Bees Made Honey In The Lion Skull”, “Old Black” e “Ouroborus Is Broken”. Apesar do alinhamento e olhando para um conjunto de regras subjacentes ao ato - palco, eles, nós, guitarra, baixo, bateria, temas do novo disco, etc. – em diversos momentos o que passou pela sala 2 do Hard Club, esteve longe de ser um concerto e aproximou-se antes de uma experiência. Uma experiência pessoal. Carlson, Davies e Herzog não foram músicos, mas antes agentes que estimularam os sentidos e libertaram alguma química entre as sinapses neuronais. E como em todos os momentos de libertação, não basta tentar descrever como foi, explicar como é… era necessário estar no momento e deixar que este nos tomasse.


Texto por Emanuel Ferreira
Fotografias por Daniel Sampaio
Agradecimentos: Amplificasom