• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)



“Mas que grande salganhada que para aqui vai”. É impossível que esta não seja a frase que nos surge ao ouvir “People Of The Blaze”. A coerência dos Acrania faz com que a frase se repita em todos os momentos deste álbum. Juntando death metal a ritmos tipicamente mexicanos, país de origem da banda, com secções de sopro que a música latina gosta de incorporar, temos uma ideia vencedora em termos de originalidade. A principal questão que se coloca obrigatoriamente é: será que esta originalidade vai desaguar em música que se consiga ouvir? Ou trata-se apenas “daqueles” discos que se faz sempre comparação com as anedotas – à primeira tem graça à segunda já embaça?

Não é uma resposta fácil de dar e para tal, obriga a muitas audições até que se consiga ter um esboço de uma decisão. O que é engraçado é que mesmo antes desse esboço de resposta estar concluído, este álbum torna-se completamente viciante. Viral mesmo.  A mistura não lembra ao diabo e mesmo não se sendo apreciador de música latina, como é o meu caso, esta mescla instala-se e não quer sair. Torna-se como a planta carnívora do filme “A Lojinha Dos Horrores”, sempre a pedir por mais chicha, ou neste caso, por novas audições. Exige e atendemos a esse pedido sem qualquer tipo de problema.

Surpreendente e cativante. E de pensar que já o terceiro álbum que a banda lança, faz-nos querer visitar o passado recente da banda e confirmar se a maluquice começou aqui ou já vem de trás. Indo buscar outra comparação parva, este álbum parece ser um ritual vudu – com a tamborada frenética – convertido em death metal. Uma espécie de Santana da década de setenta sob o efeito de esteróides nucleares. Claro que poderia ser um pouco mais death metal e não dar tanto ênfase à parte da música latino-americana, mas também não seria expectável que quem não suporta o género ficasse de um momento para o outro fã da coisa. Para quem tem o espírito aberto.


Nota: 8/10

Review por Fernando Ferreira