• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































The Sword vão entrar num hiato

Corte quase fatal no futuro dos The Sword, uma vez que a banda texana anunciou há dias que fará uma pausa, embora tenha lançado ainda em março (...)

Hate Eternal lançam áudio de "Nothingness of Being"

A banda de death metal irá lançar o novo álbum, Upon Desolate Sands, a 26 de outubro através da Season Of Mist. Depois de desvendar (...)

Alterações no alinhamento do Festival Bardoada e Ajcoi

O Festival Bardoada e Ajcoi anunciou a substituição de duas das bandas previamente confirmadas. (...)

Marky Ramone em Portugal no próximo mês

O veterano Marky Ramone tem dois espectáculos marcados para o nosso país, que serão nada mais, nada menos, do que o warm up para o Lisbon Tattoo Rock Fest 2018. (...)

Behemoth lançam nova música "Wolves Ov Siberia"

"Wolves Ov Siberia", o novo vídeo de Behemoth, pode ser visto acima. A música faz parte do próximo álbum da banda, "I Loved You At Your Darkest", (...)


O conclave havia sido marcado com meses de antecedência, e desde o primeiro momento se percebeu que os devotos acólitos de Ghost marcariam presença em grande número nas duas sessões agendadas da “Black to the Future Tour”. No Paradise Garage, em Lisboa, uma fila enorme à porta transformou-se numa casa cheia como um ovo, aguardando de forma entusiasta e efusiva pela estreia de Papa Emeritus e os seus Nameless Ghouls na capital (a nível nacional a estreia ocorrera na noite anterior, no Porto). Para ajudar os suecos a compor a noite, coube aos Dead Soul (oriundos do mesmo país) emprestar uma dose de música industrial.

Uma parceria a dois entre o blues e a música electrónica, que ao vivo se apresentou a três, envolvidos por toda uma componente industrial a dar-lhes corpo, subiu ao palco de Alcântara com a árdua tarefa de, por momentos, absorver as atenções de todos. Com apenas dois álbuns a preencherem o seu caminho até aqui – o segundo dos quais “The Sheltering Sky” bem recente! - a banda aproveitou a oportunidade para tocar e apresentar temas de ambos os registos de forma equilibrada e justa. Sempre com qualquer coisa de Nine Inch Nails no ar, a voz de Anders Landelius foi levando a alma dos Dead Soul até à plateia, mas ao mesmo tempo mantendo-a distante e solitária de certa forma. Embalados pelos frenéticos acordes de guitarra e a melancolia do blues, dispararam para uma actuação positiva e eficiente no que à recolha de novos fãs diz respeito!

Qual Praça de São Pedro, centenas de olhares apontavam para o altar aguardando a bênção de Papa Emeritus III. Uma longa Intro intensificava a expectativa. Com a subida ao palco dos incógnitos Nameless Ghouls, finalmente fumo branco! Podíamos ter gritado “Habemus Papam”, mas o refrão de “Spirit”, tema de abertura, era bem mais interessante de entoar! Mais do que um vocalista, estávamos perante um verdadeiro frontman, um espectáculo dentro do espectáculo, uma personalidade com um carisma à parte e especial: a voz calma com que dirige a missa, o humor com que a enegrece, os gestos de maestro que ditam o ritmo do ritual. Juntando esse lado cénico à categoria dos músicos que o rodeiam, em perfeita harmonia, noites como aquela acontecem. A banda contou, felizmente, com um som de bom nível permitindo que todos os detalhes das suas composições fossem perceptíveis. As súbitas passagens metálicas e musculadas para refrões melódicos a roçarem o pop dos Beatles, ao vivo ganham toda uma dimensão e obrigam muito naturalmente a uma simbiose muito especial entre banda e fãs (que durante setenta e cinco minutos não deram tréguas às cordas vocais!). A temas como “He Is”, “Cirice” ou “From the Pinnacle to the Pit” do recente «Meliora», juntaram-se visitas vitoriosas aos dois álbuns anteriores. Momentos como “Body and Blood”, com duas digníssimas freiras a apimentarem uma condenável imaginação, “Ritual”, “Year Zero” ou “Per Aspera Ad Inferi” conferiram ao set níveis a roçar o estratosférico. Os orgasmos múltiplos por Satanás, esses, ficaram mesmo reservados para o encore, onde “Monstrance Clock” serviu de despedida. Não foi tão curto quanto pareceu. Mas pareceu curto, de facto. Até breve, fantasma. Santificado seja o vosso nome.


Texto por Carlos Fonte
Fotografias por Joana Martins
Agradecimentos: Prime Artists