• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)


Este início de ano está a ser bem interessante. Além de estarmos a ver as propostas que ainda temos para analisar do ano passado, temos uma série de lançamentos que nos estão a surpreender. O segundo álbum de originais dos The Lion’s Daughter é um deles. Para já, sendo um nome muito pouco óbvio para uma banda que, apesar de muitos estilos engloba, tem uma forte faceta black metal. Seria coisa mais propícia para um lançamento qualquer da Frontiers. Mas não. Tal como o próprio título indica, a coisa é séria e estes norte-americanos estão zangados. Correcção, eles não estão zangados. Eles SÃO zangados.

Embora se tenha falado alia atrás do black metal, este não é um trabalho que se identifique como tal. Existem muitas mais componentes que entram ao barulho. Juntando à claustrofobia do estilo das artes negras, temos também um fedor intenso a sludge e a pós-metal, que não é mais do que uma tentativa frustrada de não dizer que os Neurosis são um dos nomes que surgem na cabeça caso ficassem ainda mais misantrópicos, apocalípticos e mais violentos na sua música. Os cépticos dirão imediatamente que não existe possibilidade de haver algo ou alguém mais misantrópico, apocalíptico e violento que os Neurosis, mas façam-nos a vontade.

Estes quarenta minutos soam a duas horas, que apesar de serem difíceis de passar, tornam-se viciantes. Como aquela coisa que sabemos que nos faz mal mas que nos dá um certo prazer – sim, sim, existe o termo masoquismo para definir este tipo de coisas, mas adiante. Este é um trabalho bastante uniforme mas é no tema título que encerra o álbum que temos o climax e que nos faz querer repetir toda a experiência novamente. Para quem não os conhecia, ficou bem apresentado com “Existance Is Horror”, tanto para criar ódios ou amores. Parece-nos que era esse mesmo o objectivo da banda.


Nota: 8/10

Review por Fernando Ferreira