• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)



Um dos grandes nomes do metal progressivo que ainda não conseguiu chegar aos níveis de popularidade de uns Dream Theater, Symphony X ou até mesmo Fates Warning (a outra banda do vocalista Ray Alder), embora a qualidade evidenciada na sua carreira até ao momento seja inquestionável. Já passaram cinco anos desde "This Mortal Coil" e logo à partida, sem grande análise, o que podemos reparar é a ausência de Bernie Versailles, um dos guitarristas da banda que sofreu um aneurisma em 2014 e ainda se encontra a recuperar. No entanto, para compensar, a banda norte-americana convocou uma série de cromos difíceis do mais alto gabarito.

Estão preparados?

Então temos Simone Mularoni (dos DGM e Empyrios) e a armada dos Megadeth, composta por Chris Poland (o primeiro vocalista da banda de Mustaine), Marty Friedman (para muitos, representativo da melhor fase da banda) e Chris Broderick (o último guitarrista que abandonou o barco). Com um elenco de luxo destes, o lugar de Bernie está bem preenchido. Também existe a salientar a presença de John Bush com uma participação emocionante na "Love Reign O'er Me". No entanto, todos estes nomes não servem de nada se as músicas não tiverem a qualidade que já nos habituámos. E têm. Aliás, até podemos dizer que ultrapassa em qualidade o anterior, o já mencionado "This Mortal Coil".

Para quem chegou aqui agora - como já dissemos, a banda ainda não alcançou os níveis de popularidade merecidos, pelo que não será estranho isso acontecer - poderá estranhar a voz de Ray Alder, principalmente para quem está habituado a ouvi-lo nos Fates Warning, já que a música puxa bem mais ao metal e é nesse departamento (do metal) que "The Art Of Loss" triunfa, com grandes momentos para os apreciadores de guitarra, não só pelo talento dos músicos mencionados atrás mas como também pelo talento de Nick Van Dyk, o eterno mastermind por trás da banda.

Poderá não entrar à primeira - provavelmente não entrará à primeira - mas definitivamente é um daqueles álbuns que dará um gozo desgraçado ouvir e apreciar a forma como evolui dentro do ouvinte a cada uma dessas audições. No entanto, se há algum tema que poderá imediatamente causar um excelente impressão, será o mega-épico "At Day's End" com mais de vinte minutos de duração. Se para quem precisa de alguma definição para tentar perceber o que é metal progressivo, poderá muito bem começar por aqui.


Nota: 9/10

Review por Fernando Ferreira