• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)



Não sabendo bem porquê, sempre ficou a sensação de que os American Head Charge eram uma mistura de punk com nu-metal e foi preciso que surgisse este “Tango Umbrella” para nos mostrar como estávamos errados. Trata-se do quarto álbum da banda, que já não lançava nada há 11 anos e que o lança como se estivesse não em 2005 mas em 2001. Parece não fazer grande diferença estes quatro anos, mas para quem não se recorda, o nu-metal já estava completamente moribundo em 2005 e se estava nessa altura, imaginem como estará agora… é o regresso dos mortos-vivos, basicamente.

“Let The World Believe” serve como despertar para todos aqueles, como nós, que estavam a dormir. A faixa mostra-nos algo que pode ser encarado como uma mistura entre Marilyn Manson e Limp Bizkit, mistura que junta às seguintes, onde já nos parece termos Deftones com Korn, por exemplo, faz-nos entrar num modo de reflexão e de introspecção e obriga-nos a olhar para trás, com ou sem nostalgia. O que é certo é que perante este exercício, o álbum passa-nos ao lado, o que também não será de estranhar já que a música soa-nos bem familiar, como tudo aquilo que fugíamos a sete pés quinze anos atrás.

Este é um trabalho que não nos impressionou, temos que ser honestos. Tem os seus pontos positivos, tem energia, tem melodias cativantes, mas fica sempre no ar o cheiro a mofo e a representação de uma era que não foi particularmente para o lado mais mainstream da música pesada. Não acrescenta rigorosamente nada em relação ao que já foi feito, isto é, tudo aquilo que nos queixámos naquela época é tudo aquilo que nos queixamos em “Tango Umbrella”. Definitivamente, não é um trabalho para vencer o teste do tempo. Na realidade, perde logo essa batalha à primeira audição.


Nota: 4/10

Review por Fernando Ferreira