• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


O ambiente funebre da intro, intitulada "Intro", é capaz de enganar todos os que esperavam uma bujarda black metal ou até doom metal, já que a "Nihil Time Funeral Process" (que pelo título também engana) começa com um feeling de chanson noir, a fazer lembrar algo que o Nick Cave escreveria se estivesse mal disposto, mas é quando surge o que parecem ser gaitas de foles (ou de beiços, ou algo da família) que nós chegamos à conclusão que não estamos mesmo onde julgávamos estar. E mais, chegamos à conclusão que não fazemos a mínima ideia onde estamos!

Com o recurso a algumas músicas instrumentais, a sensação de estranheza não desvanece, muito pelo contrário, acentua-se já que ficamos com a sensação que estamos a juntar uma série de coisas que além de não pedirem para estarem juntas, nem queriam que lhes fizessem a desfeita, o que deixa o ouvinte com um certo ar desconcertado, a tentar perceber para que direcção é que isto vai... temendo e mais tarde percebendo que não vai mesmo a lado nenhum. O experimentalismo é bom para quebrar com as fronteiras do que é aceite como normalidade, no entanto, também é bom para se perceber que tipo de experiências não resultam e esta é sem dúvida uma delas.

Apesar de não ser propriamente um martírio de ser ouvido, soa tão disconexo do início ao fim que acaba por criar uma certa habituação e dormência, tornando-se até um pouco indiferente. Será provavelmente uma crítica muito dura, até porque há movimentos internos a cada audição que se tem, o que provavelmente quererá dizer que, havendo paciência, até se pode vir a apreciar de forma mais positiva este "Nous Sommes Faux". A verdade é que não houve paciência para se chegar a esse ponto, nem para tentar perceber se os movimentos internos são de repulsa ou de contentamento portanto... nunca saberemos.


Nota: 4/10

Review por Fernando Ferreira