• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Álbum de estreia para os norte-americanos Separation Of Sanity que aparentam ter chegado algumas décadas atrasados. Pelo menos uma e meia. O seu som prima pelo thrash metal modernaço mas inconsequente, com um bacano (o amigo Jason "X" Carpenter) a berrar, uma bateria pouco orgânica, riffs de guitarra que soam a como se tivessem sido rejeitados por bandas como Machine Head (por alturas do "Supercharger" ou até "The Burning Red", se tivermos em conta a "The Pact") e um conjunto de músicas que simplesmente não conseguem cativar. Agora a parte confusa... não são propriamente músicas más.

A sério.

São temas que têm groove, têm energia e têm... um grave defeito. Soa todos a déjà vú. De vez em quando lá surge qualquer coisa que até parece que nos vai surpreender - como o início promissor da "Greed" - mas depois a coisa vai acabar sempre no mesmo ponto: "been there, did that". Mesmo na música mencionada atrás, "Greed", temos as vozes limpas que trazem uma lufada de ar fresco e um sentido de melodia acrescido, mas a questão é que... quantas bandas usam a fórmula do refrão melódico e dos versos gritados? E há quanto tempo.

Verdade seja dita, e em defesa do dito tema, esse acaba por ser um dos melhorres temas do álbum. Para álbum de estreia talvez não se deva exigir mais - estamos mal habituados, muito mal habituados - no entanto, também é perceptível de que a banda não tem muitas intenções de mudar o rumo das coisas. Talvez nem seja necessário mudar o rumo do quer que seja. Só gostávamos de ter (mais) músicas mais fortes. Para quem gosta do seu thrash modernaço e sem grandes inovações, como se tivesse sido lançado em 1999, está aqui um álbum interessante.


Nota: 6/10

Review por Fernando Ferreira