• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


Álbum de estreia para os norte-americanos Separation Of Sanity que aparentam ter chegado algumas décadas atrasados. Pelo menos uma e meia. O seu som prima pelo thrash metal modernaço mas inconsequente, com um bacano (o amigo Jason "X" Carpenter) a berrar, uma bateria pouco orgânica, riffs de guitarra que soam a como se tivessem sido rejeitados por bandas como Machine Head (por alturas do "Supercharger" ou até "The Burning Red", se tivermos em conta a "The Pact") e um conjunto de músicas que simplesmente não conseguem cativar. Agora a parte confusa... não são propriamente músicas más.

A sério.

São temas que têm groove, têm energia e têm... um grave defeito. Soa todos a déjà vú. De vez em quando lá surge qualquer coisa que até parece que nos vai surpreender - como o início promissor da "Greed" - mas depois a coisa vai acabar sempre no mesmo ponto: "been there, did that". Mesmo na música mencionada atrás, "Greed", temos as vozes limpas que trazem uma lufada de ar fresco e um sentido de melodia acrescido, mas a questão é que... quantas bandas usam a fórmula do refrão melódico e dos versos gritados? E há quanto tempo.

Verdade seja dita, e em defesa do dito tema, esse acaba por ser um dos melhorres temas do álbum. Para álbum de estreia talvez não se deva exigir mais - estamos mal habituados, muito mal habituados - no entanto, também é perceptível de que a banda não tem muitas intenções de mudar o rumo das coisas. Talvez nem seja necessário mudar o rumo do quer que seja. Só gostávamos de ter (mais) músicas mais fortes. Para quem gosta do seu thrash modernaço e sem grandes inovações, como se tivesse sido lançado em 1999, está aqui um álbum interessante.


Nota: 6/10

Review por Fernando Ferreira