• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Se há um nome do punk/hardcore/crust que mais tenha influenciado inúmeras bandas metal/crossover, esse nome é, sem dúvida, os britânicos Discharge, com um álbum para lá de mítico e histórico: “Hear Nothing See Nothing Say Nothing”. De tal forma histórico que parece que tudo o que fez desde esse ponto acabou por soar inconsequente, não o sendo verdadeiramente. Pelo menos, não por completo. Da instabilidade ninguém os livrou, sendo que esta presente encarnação é o terceiro regresso da banda (que já dura desde 2001) e “End Of Days” é o sétimo álbum que surge precisamente oito anos após o último.

O que temos é o punk/hardcore/Crust bruto da banda ao nível daquilo que o seminal primeiro álbum nos trouxe em 1982, mas não queremos ser blasfemos nem ferir susceptibilidades. Não existem aqui faixas imediatas como a “The Possibility Of Life’s Destruction” mas o espírito hardcore selvagem está lá, ainda que um saudável travo metálico (temos aqui muitos bons solos). Se a banda influenciou nomes tão díspares como Metallica e Hellhammer/Celtic Frost, aqui temos um conjunto de músicas que podem fazer o mesmo neste novo milénio, vivêssemos nós numa época diferente.

E a questão é essa mesmo. Não vivemos numa época diferente e este trabalho, de qualidade superior, pode muito bem passar despercebido na infinidade lançamentos semanais e mensais que temos, ainda que estejam agora na toda poderosa Nuclear Blast. Independentemente dos tempos serem outros, é impossível não se ficar espantando com a energia pura e dura de temas como “Hatebomb”, “Looking At Pictures Of Genocide” e “Hung Drawn And Quartered”. Mesmo que não influenciem toda uma nova geração de música extrema, não deixa de ser um álbum capaz de suportar o teste do tempo.


Nota: 8.5/10

Review por Fernando Ferreira