• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Após a reedição dos trabalhos anteriores, pelas mesmas mãos que apresentam agora este “The Bones Of A Dying World”, é chegada a vez de pensar em coisas presentes. Não é que este álbum difira muito dos anteriores e que foram reeditados pela Metal Blade. A questão com os If These Trees Could Talk é que eles têm o seu género muito bem definido, pós-rock, e como tal não é expectável que agora desatassem a tocar grindcore matemático com saxofones amestrados. Não há espaço para surpresa e por nós tudo bem.

É exactamente o que esperamos  e é exactamente o que queremos.

São nove temas que nos apresentam as paisagens que já tínhamos saudades de visitar. Tal como um local, tal como uma viagem que se faz regularmente e que serve para nos desintoxicarmos do stress diário. Não temos qualquer dúvida do papel terapêutico da música – tanto para os ouvintes como para os executantes e compositores. Nem toda a música instrumental tem este dom e nem todo o pós-rock também, pelo que há algo aqui, nestes senhores, que conseguem tocar nos botões correctos. Sempre.

Poderíamos ser maldosos e dizer que os botões são sempre os mesmos. Até poderemos admitir que sim, que não há muita variação na fórmula que a banda apresenta, de disco para disco, mas como ficar indiferente a temas como “Solstice”, “Earth Crawler”, “Iron Glacer” e “One Sky Above Us”? Impossível. A viagem continua tão eficaz e tão viciante como antes. As músicas continuam tão brutais como antes. Para quem gosta de música instrumental e de viajar na maionese, está aqui (mais) um excelente trabalho.


Nota: 9/10

Review por Fernando Ferreira